Geografia, representação e arte em Vincent van Gogh: uma leitura do “Passeio ao crepúsculo” / Geography, representation and art in Vincent van Gogh: a reading d”Landscape with couple walking and crescent moon”

Jean Carlos Rodrigues

Resumo


Este artigo estabelece uma relação entre Geografia e Arte de modo que possamos refletir sobre o que há de arte na geografia e o que há de geografia na arte. Esta interface é no intuito de contribuir com um debate da Geografia no qual a Arte, pensada enquanto representação, seja vista como expressão do espacial presente no significado que a cultura atribui à existência. NaArte, analisamos o quadro “Passeio ao Crepúsculo”, de Vincent van Gogh, produzido em um contexto posteriormente denominado de Pós-Impressionista por ser a expressão artística de um século (XIX) no qual diversas outras revoluções entraram em curso na Europa e alteraram os sentidos das coisas. NaGeografia, os pilares para tal discussão estão estabelecidos na relação entre a paisagem e a sua representação nas pinturas. A arte, como forma simbólica, constitui representações que expressam as geografias pós-impressionistas, sobretudo de Vincent van Gogh


Palavras-chave


Geografia. Arte. Paisagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. O que é política? 7ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

CASSIRER, Ernst. Ensaio sobre o homem. Introdução a uma filosofia da cultura humana. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FISCHER, Ernest. A Necessidade da Arte. 9ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007.

GOMES, Edvânia T. Aguiar. Natureza e Cultura – representações na paisagem. In: ROSENDAHL, Zeny; CORREA, Roberto Lobato (Orgs). Paisagem, Imaginario e Espaço. Rio de Janeiro: Eduerj, 2001, p. 49-70.

GOMES, Paulo Cesar da Costa. Cenários para a Geografia: sobre a espacialidade das imagens e suas significações. In: ROSENDAHL, Zeny; CORREA, Roberto Lobato (Orgs). Espaço e Cultura: pluralidade temática. Rio de Janeiro: Eduerj, 2008, p. 187-209.

GOMPERTZ, Will. Isso é arte? 150 anos de arte moderna do impressionismo até hoje. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

GOMBRICH, Ernest Hans. A história da arte. Rio de Janeiro: LTC, 2012.

GOGH, Vincent van. Cartas a Théo. Porto Alegre: LP&M, 2015.

GRIMME, Karin H. Impressionismo. Koln: Taschen, 2009.

LANGER, Susanne K. Sentimento e Forma: uma teoria da arte desenvolvida a partir de Filosofia em nova Chave. São Paulo: Perspectiva, 2011.

MACHADO, Ivan Pinheiro. Amargura e solidão nas cartas do pintor maldito. In: GOGH, Vincent van. Cartas a Théo. Porto Alegre: LP&M, 2015.

MARANDOLA JR., Eduardo. Humanismo e arte para uma geografia do conhecimento. In: Geosul, v.25, n.49, p. 07-26, já./jun. 2010.

MARTINEZ, Felipe Sevilhano. Van Gogh no MASP. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2015.

MASP. A Natureza das Coisas. São Paulo: Comunique, 2008 (Coleção MASP).

MELO, Vera Mayrinck. Paisagem e Simbolismo. In: ROSENDAHL, Zeny; CORREA, Roberto Lobato (Orgs). Paisagem, Imaginario e Espaço. Rio de Janeiro: Eduerj, 2001, p. 29-48.

MONET, Claude. Impressão – Nascer do Sol. 1872. Óleo sobre tela. 48 x 63 cm. Musée Marmottan Monet, Paris.

NAIFEH, Steven; SMITH, Gregory White. Van Gogh: a vida. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

PANOFSKY, Erwin. Significado nas artes visuais. São Paulo: Perspectiva, 2014.

PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

PICASSO, Pablo. Guernica. 1937. Óleo sobre tela. 349,3 x 776,6 cm. Museu Nacional Reina Sofia, Madri.

WALTHER, Ingo F.; METZGER, Rainer. Van Gogh: obra completa de pintura. Koln: Taschen, 2015.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2018.81.a12988

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.