Da geosofia como geografia cordial: a obra de Josué de Castro como insurreição ontológica / Geosophy as a cordial geography: Josué de Castro's work as an ontological insurrection

Carlos Eduardo Pontes Galvão Filho

Resumo


A geosofia como conhecimento geográfico emergido da geograficidade e feita de sentimentos de mundo estabelecidos nas experiências geográficas de paisagens, territórios e lugares. Experiências ora de aproximação ora de distanciamento da própria condição terrestre, oscilação de referências e vinculações que vibram à flor da pele no existir do ser-no-mundo. Nesse sentido, a geosofia é conhecimento que desvela a dimensão geográfica do habitar e abre caminhos para um pensar junto ao coração: uma geografia cordial que pulsa junto à Terra. O objetivo deste artigo é cultivar a possibilidade da geosofia como geografia cordial e esta como um pensar insubordinado quanto à cisão homem-Terra que marca o pensamento moderno euro-ocidental. A obra de Josué de Castro aparece enquanto obra geosófica e cordial, pois irrompida de um pensar insubordinado emergido junto à condição terrestre e ao coração. Irrupção aqui compreendida como insurreição ontológica: rebeldia contra a hegemonia do pensamento euro-ocidental e dirigida ao cultivo de outros modos de pensar.


Palavras-chave


eograficidade. Fenomenologia. Habitar. Manguebeat.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M. C. de. Josué de Castro: o homem, o cientista e seu tempo. Estudos Avançados. v.11, n.29, São Paulo, p. 169-194, Jan./Abr., 1997.

BESSE, J.-M. Géographie psychique: Notes sur l’espace comme sentiment. In: LUNA, Toni; VALVERDE, Isabel (dir.). Paisaje y emoción: El resurgir de las geografías emocionales. Barcelona: Observatori del Paisatge de Catalunya; Universitat Pompeu Fabra, p. 97-114, 2015.

CASTRO, J. de. Documentário do Nordeste. 2. ed. São Paulo: Editôra Brasiliense, 1959.

CASTRO, J. de. Homens e Caranguejos (Romance). São Paulo: Editora Brasiliense, 1967.

DAL GALLO, P. M. A ontologia da Geografia à luz da obra de arte: o embate Terra-mundo em "Out of Africa". 2015. 97 p. Dissertação (Mestrado em Geografia). Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

DARDEL, E. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. Trad. Werther Holzer. São Paulo: Perspectiva, 2011.

ESCOBAR, A. Sentipensar con la tierra. Nuevas lecturas sobre desarrollo, territorio y diferencia. Medellín: Ediciones UNAULA, 2014.

GALVÃO FILHO, C. E. P. Por abismos... casas... mundos...: a geosofia como narrativa fenomenológica da geografia. 2016. 1 recurso online (120 p.). Dissertação (mestrado em Geografia). Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

HEIDEGGER, M. Serenidade. Trad. Maria Madalena Andrade e Olga Santos. Lisboa: Instituto Piaget, 2000.

HEIDEGGER, M. Ensaios e Conferências. Trad. Emmanuel Carneiro Leão, Gilvan Fogel, Marcia Sá Cavalcante Chuback. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2006.

HEIDEGGER, M. Introdução à filosofia. Trad. Marco Antônio Casanova. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. Trad. Fausto Castilho. Campinas: Unicamp; Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

HEIDEGGER, M. A origem da obra de arte. In: HEIDEGGER, M. Caminhos de Floresta. Trad. Irene Borges-Duarte, Filipa Pedroso, Alexandre Franco de Sá, Hélder Lourenço, Bernhard Silva, Vítor Moura, João Constâncio. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2014, p. 5-94.

HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HOLZER, W. Uma discussão fenomenológica sobre os conceitos de paisagem e lugar, território e meio ambiente. Território. Rio de Janeiro, ano II, nº 3, p. 77-85, jul. / dez. 1997.

HOLZER, W. Mundo e Lugar: ensaio de Geografia Fenomenológica. In: HOLZER, W., OLIVEIRA, L. (Orgs). Qual o espaço do lugar?: geografia, epistemologia e fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012, p. 281-304.

HUSSERL, E. A crise das ciências europeias e a fenomenologia transcendental. São Paulo: Forense Universitária, 2012.

LOWENTHAL, D. Geografia, experiência e imaginação: em direção a uma epistemologia geográfica. In: CHRISTOFOLETTI, Antonio (Org.). Perspectivas da Geografia, São Paulo: DIFEL, 1982, p. 103-141.

MARANDOLA JR., E. Humanismo e arte para uma geografia do conhecimento. Geosul. Florianópolis, v.25, n.49, p7-26, jan. / jun. 2010.

MARANDOLA JR., E. Heidegger e o pensamento fenomenológico em Geografia: sobre os modos geográficos de existência. Geografia, Rio Claro, v. 37, n. 1, p. 81-94, jan. / abr. 2012.

MARANDOLA JR., Eduardo. Fenomenologia do ser-situado: crônicas de um verão tropical urbano. 2016. Tese (Livre Docência em Ambiente e Sociedade). Faculdade de Ciências Aplicadas, Universidade Estadual de Campinas, Limeira, SP.

MELO, Marcelo Mário de Melo; NEVES, Teresa C. W. Josué de Castro. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2007. 323p. [Perfis parlamentares n. 52]

NOGUERA, A. P. Cuerpo – Tierra. El Enigma, El Habitar, La vida. Potencias de un Pensamiento Ambiental en clave del Reencantamiento del Mundo. Madrid: Editorial Académica Española, 2012.

SANTOS, B. de S. Um discurso sobre as Ciências. 16 ed. Porto: Edições Afrontamento, 2010.

SILVA, G. P. da. “Mangue”: moderno, pós-moderno, global. 2008. 162 p. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

TENDLER, S. Josué de Castro, Cidadão do Mundo. 50 min. 33 segs., 1995.

TESSER, P. Mangue Beat: húmus cultural e social. LOGOS 26: comunicação e conflitos urbanos. Ano 14, p. 70-83, 1º semestre 2007.

WRIGHT, J. K. The history of geography: a point of view. Annals of the Association of American Geographers. v. 15, p. 192-201, 1925.

WRIGHT, J. K. Terrae incognitae: o lugar da imaginação na Geografia. Trad. Leticia Pádua. Geograficidade, v. 4, n.2, p. 4-18, Inverno 2014.

ZUMBI, Chico Science & Nação. Da lama ao Caos. CD/LP. Estúdio Nas Nuvens, Rio de Janeiro-RJ, 1994.

ZUMBI, Chico Science & Nação. Afrociberdelia. CD/LP. Estúdio Nas Nuvens, Rio de Janeiro-RJ / Estúdio Mosh, São Paulo-SP, 1996.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2018.82.a13137

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.