Origens da paisagem em Augustin Berque: pensamento paisageiro e pensamento da paisagem / Landscape origins in Augustin Berque: landscaping thought and landscape thinking

Hugo Leonardo Marandola, Lívia de Oliveira

Resumo


O geógrafo Augustin Berque dedica boa parte de sua obra ao estudo da paisagem, tendo como uma de suas bases de pensamento a fenomenologia. Para o autor, a paisagem é uma das formas de expressão da relação entre homem e meio, e por isso ele se dedicou na busca do sentido profundo da paisagem, investigando suas origens na humanidade. Neste caminho, Berque encontrou registros do termo paisagem muito anteriores ao Renascimento europeu, comumente apontado como período de surgimento do conceito. Apesar de esta ser a origem do termo no ocidente, na China do século IV, cerca de mil anos antes da civilização ocidental, há registros tanto do vocábulo paisagem, como de uma reflexão sobre o mesmo. Por esse contexto de surgimento, ou nascimento, Berque considera que o sentido profundo da paisagem é revelado a partir de suas origens na China. Propõe ainda as noções de pensamento paisageiro e pensamento da paisagem.


Palavras-chave


Sentido de paisagem. Epistemologia da paisagem. Geografia humanista. Geografia cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Teresa. Paisagem – em busca do lugar perdido. Finisterra. v.36, n.72, 2001, p.67-74.

BERQUE, Augustin. Milieu, trajet de paysage et déterminisme géographique. L’Espace géographique, v.14, n.2, p.9-104, 1985.

BERQUE, Augustin. Milieu et motivation paysagère. L’Espace Géographique, n.4, p.241-250, 1987.

BERQUE, Augustin. Le paysage de la modernité. In: BERQUE, Augustin. Les raisons du paysage, de la Chine antique aux environnements de synthèse. Paris: Editions Hazan, 1995, p.103-140.

BERQUE, Augustin. Paisagem-marca, paisagem-matriz: elementos da problemática para uma geografia cultural. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (orgs.). Paisagem, tempo e cultura. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998b, p.84-91.

BERQUE, Augustin. Médiance: de milieux en paysages. (1ª ed. Paris: Reclus, 1990) 10ª ed. Paris: Éditions Belin, 2000.

BERQUE, Augustin. La pensée paysagère. Paris: Aux éditions Éoliennes, 2016.

BERQUE, Augustin. Écoumène: introduction à l’étude des milieux humanis. Paris: Éditions Belin, 2010.

BERQUE, Augustin. A ecúmena: medida terrestre do Homem, medida humana da Terra. In: SERRÃO, Adriana Veríssimo. Filosofia da paisagem. Uma antologia. Lisboa, Portugal: Vniversitas, Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2011a, p.187-199.

BERQUE, Augustin. O pensamento paisageiro: uma aproximação mesológica. In: SERRÃO, Adriana Veríssimo. Filosofia da paisagem. Uma antologia. Lisboa, Portugal: Vniversitas, Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2011b, p.200-212.

BERQUE, Augustin. Introdução. In: BERQUE, Augustin. Cinco propostas para uma teoria da paisagem. (tradução de Vladimir Bartalini) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo: São Paulo, 2013a, p.25-30.

BERQUE, Augustin. Paisagem, meio, história. In: BERQUE, Augustin. Cinco propostas para uma teoria da paisagem. Trad. Vladimir Bartalini Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo: São Paulo, 2013b, p.31-42.

BERQUE, Augustin. Poétique de la Terre: histoire naturelle et histoire humaine, essai de mesologie. Paris: Belin, 2014.

DAL GALLO, Priscila Marchiori. A influência do pensamento oriental na geografia de Augustin Berque: a filosofia de Watsuji Tetsurô. Geograficidade, Niterói, RJ, v.4, n.2, p.32-47, 2014.

HOLZER, Werther. Um estudo fenomenológico da paisagem e do lugar: a crônica dos viajantes no Brasil no século XVI. Tese (doutorado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

HOLZER, Werther. Augustin Berque: um trajeto pela paisagem. Espaço e cultura, UERJ, Rio de Janeiro, RJ, n.17-18, p.55-63, 2004.

KERN, Maria Lúcia Bastos. História e Arte: as invenções da paisagem. Anais. XXVI Simpósio Nacional de História, ANPUH, São Paulo, 2011.

MARANDOLA JR., Eduardo. Um sentido fenomenológico de paisagem: o sentir em mistura do ser-lançado-no-mundo. Texto-base da Conferência proferida no "Seminário Internacional Questões Contemporâneas sobre Paisagem", realizado dias 9 e 10 de abril de 2014, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, 2014.

MAXIMIANO, Liz Abad. Considerações sobre o conceito de paisagem. RA’E GA. N.8, Curitiba: UFPR, 2004, p.83-91.

PADUA, Letícia Cristina Teixeira. A geografia de Yi-Fu Tuan: essências e persistências. Tese (doutorado). Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 2013.

SCHACHTER, Bony Braga. Forma e movimento: a teoria da pintura de paisagem na China, 229-589. Concinnitas, v.2, n.19, p.1-20, 2011.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. (Trad. Livia de Oliveira) Londrina: Eduel, 2012.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2018.82.a13140

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.