A cidade e a música / The city and the music

Gustavo da Silva Diniz, Auro Aparecido Mendes

Resumo


A relação entre cidade e música pode ser feita desde suas definições conceituais até as origens dos espaços urbanos e das atividades musicais. Historicamente, verifica-se a tendência das atividades musicais se aglomerarem em espaços urbanos, nas mais diversas regiões do globo. Assim como a cidade, a música também deve ser compreendida como criação social, carregada de elementos simbólicos, criativos e territoriais. O presente artigo investiga as relações entre cidade e música e estrutura-se em três seções, apresentando três abordagens para o estudo desta relação: a primeira denominada “A Criação das Cidades: o espaço urbano e as atividades musicais”, a segunda “A Criação nas Cidades: cidades criativas da música” e a terceira “Atividades Criativas e Desenvolvimento Territorial: Música e Território em Tatuí-SP”. Desta forma, busca-se contribuir com os estudos que analisam as relações entre Geografia e Música e oferecer subsídios para pesquisas que relacionem o espaço urbano e as atividades musicais.


Palavras-chave


Cidades. Música. Geografia Cultural. Geografia Econômica Cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


AB´ SÁBER, A. Quanto Custa uma Cidade. Humanidades, Brasília, v. 3, n. 10, p. 100-108, 1986.

ALMEIDA, J. C. José Coelho de Almeida: depoimento. Entrevistadora: Silvia Corradi de Azevedo Cruz. Tatuí: FILÓ Comunicação, Educação, Arte, 2014. Entrevista concedida ao Projeto Notas e Compassos na Capital da Música.

ALMEIDA, M. B.; PUCCI, M. D. Outras Terras, Outros Sons. São Paulo: Callis, 2011.

BOGOTÁ. Unesco Creative Cities Network in Music. Executive Summary – Bogotá’s Candidature. Bogotá: Alcaldía Mayor de Bogotá D.C, 2010.

BOLOGNA. Bologna, Italy: City of Music. Bologna: Comune di Bologna, 2006.

CAMARGO, R.; CAMARGO, C. Tatuí: Capital da Música. São Paulo: Noovha America, 2006.

CAMPOS, A. C. N. Antonio Carlos Neves Campos: depoimento. Entrevistadora: Silvia Corradi de Azevedo Cruz. Tatuí: FILÓ Comunicação, Educação, Arte, 2014. DVD. Entrevista concedida ao Projeto Notas e Compassos na Capital da Música.

CARNEY, G. The sounds of people and places: a geography of american music from country to classical and blues to bop. Lanham: Rowman and Littlefield, 2003.

CASTRO, D. Geografia e Música: a dupla face de uma relação. Espaço e Cultura, UERJ, Rio de Janeiro, n. 26, p. 7-18, jul./dez, 2009.

CHRISTALLER, W. Central Places in Southern Germany. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1966.

CORREA, R. O Espaço Urbano. São Paulo: Ática, 1989.

CORRÊA, R.; ROSENDAHL, Z. (orgs.) Introdução à Geografia Cultural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

COSGROVE, D. Em direção a uma geografia cultural radical: problemas da teoria. In: CORREA, R.; Rosendahl, Z. (orgs.) Introdução à Geografia Cultural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

CRUZ, S. C. A. Notas e Compassos na Capital da Música. DVD. Tatuí: FILÓ Comunicação, Educação, Arte, 2014.

DELAROLE, P. O Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí como Difusor Cultural. Dissertação (Mestrado em Música). Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

DINIZ, G. S. Atividades Criativas e Desenvolvimento Territorial: Música, Território e Criatividade em Tatuí-SP. Dissertação (Mestrado em Geografia). Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, 2015.

DOZENA, A. (org.) Geografia e Música: diálogos. Natal: EDUFRN, 2016.

FURTADO, C. Criatividade e Dependência na Civilização Industrial. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

FURTADO, C. Cultura e Desenvolvimento em Época de crise. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

GERTLER, M. Uma Geografia Econômica Cultural da Produção. In: CORRÊA, R.; ROSENDAHL, Z. (orgs.) Economia, Cultura e Espaço. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.

GHENT. Unesco Global Alliance for Cultural Diversity. Creative Cities Network Music. Ghent: Department of City Promotion and Sports, 2009.

GLASGOW. Glasgow City of Music: Application Dossier. Glasgow: GUCM, 2008.

HADDAD, F. Aula Magna da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Belo Horizonte: UFMG, 22, mar., 2017. Disponível em: . Acesso em: dez, 2017.

HALL, P. Cities in civilization: culture, innovation and urban order. Journal of Irish Urban Studies, v. 2, n.2, 2003.

KONG, L. Popular Music in geographical analyses. Progress in Human Geography, v. 19, n.2, p. 183-198, 1995.

LANDRY, C. Origens e Futuros da Cidade Criativa. São Paulo: Sesi, 2013.

MONTEIRO, R. R. Territorialidade e Memória Tropeira em São Paulo: o caminho paulista das tropas. Tese (Doutorado em Geografia). Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, 2013.

MUMFORD, L. A Cultura das Cidades. Belo Horizonte: Itatiaia, 1961.

NASH, P. Music Regions and Regional Music. The Deccan Geographer, v.6, p. 1-24, 1968.

PANITZ, L. Geografia e Música: uma introdução ao tema. Biblio 3W, Barcelona, v. XVII, n. 978, mai. 2012.

POWER, D.; HALLENCREUTZ, D. Profiting from creativity? The music industry in Stockholm, Sweden and Kingston, Jamaica. Environment and Planning A, v. 34, n.10, p.1833-1854, 2002.

REIS, A. Cidades criativas: análise de um conceito em formação e da pertinência de sua aplicação à cidade de São Paulo. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

SCOTT, A. A New Map of Hollywood: The Production and Distribuction of American Motion Pictures. Regional Studies, v.36, n.9, dez. 2002.

SEVILLA. Sevilla Ciudad de la Música. Sevilla: Ayuntamiento de Sevilla, 2006.

SOUZA, M. ABC do Desenvolvimento Urbano. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

STORPER, M. The regional world. Territorial development in a global economy. New York: Guilford Press, 1997.

UNESCO. Creative Cities Network: Guidelines. Paris: UNESCO, 2005.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2018.83.a13159

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.