Quando o “direito de escolha” não é um direito: da distinção estrutural entre migrantes internacionais regulares e irregulares em Governador Valadares

Weber Soares, Dimitri Fazito

Resumo


Este trabalho põe à vista a primeira análise exploratória de dados relacionais sobre os migrantes retornados valadarenses dos EUA. Pela análise estatística de 32 variáveis (17 variáveis estruturais e 15 variáveis de atributos) e da análise de variância, verifica-se a existência de forte associação entre a composição das redes pessoais e o tipo de trajetória empreendida pelo migrante internacional. A distinção estrutural concreta entre os migrantes regulares e irregulares encontra suporte e expressão na organização da “rede institucional” de agenciadores que favorece a alternativa da migração irregular. Pessoas com parâmetros estruturais específicos tendem a “escolher” (ou são constrangidas formalmente a escolher) a ação intermediária das redes de agenciadores da migração irregular.


Palavras-chave


emigração internacional; análise de redes sociais; distinção estrutural; sistema migratório Brasil-EUA; Modelo de Redes Pessoais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2008.v10i20.a13564

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Latindex Geodados Periódicos CAPES

GEOgraphia - Revista  do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense

Rua Gal. Milton Tavares, s/n, sala 508, Boa Viagem - Niterói - RJ,

CEP 24210-346

Periodiciodade Quadrimestral - ISSN 15177793 (impresso). Os conteúdos da Revista GEOgraphia estão licenciados em CC BY.