O neopositivismo regional na Geografia Humana e os (des)interesses pela macroescala.

Celio Augusto Cunha HORTA

Resumo


Pretende-se refletir sobre a disposição escalar da região na Geografia Humana na transição da “Geografia Clássica” para a “Nova Geografia”. Parte-se do pressuposto que durante o período hegemônico da “Nova Geografia”, os estudos regionais vinculados à geografia econômica reforçaram a subnacionalidade atribuída à região, porém, nos trabalhos regionais de geografia política podem ter predominado abordagens multiescalares.  


Palavras-chave


região; Nova Geografia; macroescala

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2016.v18i37.a13759

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Latindex Geodados Periódicos CAPES

GEOgraphia - Revista  do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense

Rua Gal. Milton Tavares, s/n, sala 508, Boa Viagem - Niterói - RJ,

CEP 24210-346

Periodiciodade Quadrimestral - ISSN 15177793 (impresso). Os conteúdos da Revista GEOgraphia estão licenciados em CC BY.