A barbárie da ignorância e a ética da vigilância crítica na cultura pós-moderna e na ficção de Mário de Carvalho

José Cândido de Oliveira Martins

Resumo


A ficção do escritor português contemporâneo Mário de Carvalho fixa-se justamente no tópico da ruína ou barbárie cultural, como sintoma preocupante de uma cultura pós-moderna. Essa ignorância crescente de matrizes culturais insubstituíveis não é uma manifestação de neoconservadorismo, mas antes uma evidente preocupação ética do escritor e intelectual perante uma das faces da preocupante barbárie cultural dos tempos contemporâneos. Isso é particularmente evidente em algumas das suas narrativas, problematizando assim, indirectamente , a função ou natureza empenhada da arte literária, postura secundada por vários pensadores contemporâneos – de Th. Adorno e E. Said até G. Steiner ou P. Sloterdijk.


Palavras-chave


barbárie da ignorância; ética intelectual; Mário de Carvalho; memória cultural; pós-modernismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v18i35.32949

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.