Metáfora e morte em "the Picture of Dorian Gray" de Oscar Wilde

Latuf Isaias Mucci

Resumo


Circunscrevendo como corpus The picture of Do­rian Gray (1891), único romance de Oscar Wilde (1854-1900), este estudo aponta como originali­dade dessa narrativa a trama da metáfora e o jogo da morte. Será a metáfora a morte do real? Será o real a morte da metáfora? Com esse postulado, em forma de quiasmo, analisa-se a tessitura do romance wildeano, em que a troca de lugares simbólicos entre o modelo e a pintura provoca uma tensão estética e ética. Ao fim e ao cabo, ficará a Arte, metáfora de um real, morto, mas sempre passível de transfiguração artística.


Palavras-chave


Retórica. Metáfora. Oscar Wilde. The picture of Dorian Gray

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v14i26.33130

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.