Narrativas, rostos e manifestações do pós-colonialismo moçambicano nos romances de João Paulo Borges Coelho

Sheila Kahn

Resumo


O pós-colonialismo de expressão em língua portuguesa tem sido assumido como elemento hegemónico, no pensamento e diálogo entre as várias ex-colónias portuguesas em África. Contudo, no meu entender, é urgente retomar epistemologicamente a questão pós-colonial, equacionando-a, de um modo contextualizado, aos loci culturais, idiossincráticos, históricos e sociais do objecto de trabalho. No presente artigo, pretendo desafiar a anterior hegemonia, ao propor que existe, indubitavelmente, um pós-colonialismo moçambicano, ainda que de língua portuguesa. Este esforço de romper muros, de compilar e analisar narrativas, memórias e manifestações de um caminhar póscolonial moçambicano pode ser comprovado com os romances de João Paulo Borges Coelho, nomeadamente, As visitas do Dr Valdez, Crónica da Rua 513.2 e, mais recentemente, com Campo de trânsito. Resta-nos, então, partindo de uma leitura e análise contextualizadas, reflectir sobre que trilhos, margens, memórias e rostos emergiram de um Moçambique que caminhou ao encontro da sua nação, tão como sonhada e almejada pelo poeta José Craveirinha.

Palavras-chave


Memória. Narrativa. Póscolonialismos. História e ficção

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v13i24.33164

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.