NEM NACIONAL, NEM REALMENTE ARTÍSTICA, MAS NEM POR ISSO DESPREZÍVEL: A MÚSICA POPULAR AOS OUVIDOS DE MÁRIO DE ANDRADE

André Domingues dos Santos

Resumo


Persiste uma visão bastante negativa na crítica a respeito da relação dos modernistas, sobretudo de Mário de Andrade, com a Música Popular. O presente estudo busca reavaliar a questão à luz dos escritos de Mário, explorando tanto as interlocuções internas do modernismo, quanto a produção crítica e a prática artística (em que se comenta uma obscura parceria de Mário de Andrade com o pianista Marcelo Tupinambá, “Canção marinha”). Bem menos do que uma recusa mecânica, observa-se no autor uma complexa operação eletiva de elementos para exaltação ou repúdio nas obras de artistas da Música Popular.

Palavras-chave


Modernismo; Nacionalismo; Música Popular; Mário de Andrade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v20i39.33361

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.