AS MULHERES DE OVÍDIO: PUELLAE, FEMINAE, MULIERES, DOMINAE ET AMICAE

Ana Lúcia Santos Coelho

Resumo


A Ars Amatoria, escrita pelo poeta latino Ovídio, é uma espécie de manual de galanteio no qual o autor apresenta conselhos amorosos aos homens e mulheres que viviam na Roma do imperador Augusto. A fim de transmitir os seus ensinamentos, o poeta organizou a obra em três livros, sendo os dois primeiros dedicados ao sexo masculino e o terceiro, ao sexo feminino. Esse último livro, aliás, se destaca no conjunto da obra, uma vez que Ovídio, mesmo inserido em uma sociedade fortemente patriarcal e adepta das hierarquias, coloca as mulheres em lugares de protagonismo. Ao realizar essa divisão mais fluida entre os gêneros, distancia-se das perspectivas literárias dominadas pela percepção masculina, que rotulam as mulheres como inferiores devido apenas às demarcações biológicas. Nesse sentido, o objetivo desse artigo é analisar as representações femininas construídas por Ovídio, bem como as relações amorosas protagonizadas pelas mesmas. O referencial teórico e a metodologia empregadas foram, respectivamente, o da História Cultural e a Análise de Conteúdo.


Palavras-chave


Principado de Augusto; Ovídio; Representações; Mulheres.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/rh.v2i2.10576

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Ana Lúcia Santos Coelho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

  • INDEXADORES

AWOL - The Ancient World Online

Diadorim

Google Scholar

Latindex

 

  • INSTITUCIONAL

 

NEREIDA - Núcleo de Estudos de Representações e de Imagens da Antiguidade
Campus do Gragoatá - Rua Prof. Marcos Waldemar de Freitas Reis, Bloco O, sala 507
24210-201 - Niterói - RJ
nereida@vm.uff.br