JUSTIÇA, HYBRIS E TIRANIA EM ATENAS ARCAICA E CLÁSSICA

Mariana Figueiredo Virgolino

Resumo


Segundo pensadores do século IV a.C, especialmente Platão e Aristóteles, a tirania seria a pior das formas de governo. Todavia, a bibliografia recente sobre as autocracias na Grécia tem entendido que as ligações entre os atenienses e a tirania eram ambíguas. Hybris, por sua vez, é uma noção que foi sofrendo alterações ao longo da história da Grécia Antiga. Se nos poemas homéricos e hesiódicos ela se caracterizava por uma conduta contrária à retidão (dike), uma arrogância marcada por um comportamento no nível do excesso, no período clássico essa palavra estava principalmente relacionada ao ataque à honra (timé) de um cidadão. Pretendemos neste artigo explorar as relações entre tirania e hybris na Atenas dos períodos arcaico (VII-VI séculos a.C) e clássico (V e IV séculos a.C) e compreender as associações entre os tiranos e um comportamento desmedido, hibrístico ao longo das épocas mencionadas.


Palavras-chave


Tirania; Hybris; Atenas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/rh.v3i1.10953

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Mariana Figueiredo Virgolino

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

  • INDEXADORES

AWOL - The Ancient World Online

Diadorim

Google Scholar

Latindex

 

  • INSTITUCIONAL

 

NEREIDA - Núcleo de Estudos de Representações e de Imagens da Antiguidade
Campus do Gragoatá - Rua Prof. Marcos Waldemar de Freitas Reis, Bloco O, sala 507
24210-201 - Niterói - RJ
nereida@vm.uff.br