PÓS-COLONIALISMO E A LEGITIMAÇÃO INTERNACIONAL DAS INTERVENÇÕES MILITARES NO SÉCULO XXI

Hugo Felix de Souza Silva

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a relação entre as
intervenções humanitárias, a partir do século XXI, e o caráter
seletivo e arbitrário com que se desenvolveram. Para isso, lança-se
mão da teoria pós-colonialista que denuncia o comportamento
paternalista e colonialista das principais potências ocidentais,
baseado em um binarismo geralmente relacionado ao ‘atraso’ e
‘progresso’ das partes envolvidas. Além disso, a pesquisa se propõe
a apontar, através da ótica pós-colonial, o uso indevido da corrente
construtivista no que diz respeito à construção do aparelho jurídico
internacional, neste caso o Conselho de Segurança das Nações
Unidas. Por ser construído pelas principais potências, este aparelho
legitima e normaliza o comportamento paternalista das relações
internacionais. Por fim, serão apresentados os acontecimentos em Sri
Lanka e na Líbia a fim de fortalecer os argumentos da arbitrariedade
e seletividade e do discurso de proteção dos direitos humanos em
países em desenvolvimento.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.0000/hoplos.v2i2.28784

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Hoplos



 

Realização:

                            

 

 

Indexadores: