CORRA! E AS RELAÇÕES INTER-RACIAIS NA DIÁSPORA: PARA UMA DISCUSSÃO EDUCACIONAL

Wellington Oliveira dos Santos

Resumo


Este texto analisa a relação existente entre identidade do homem negro e relações inter-raciais a partir do filme Corra!. O objetivo foi verificar como a identidade do homem negro é subalternizada em um contexto de hegemonia branca. Primeiro são apresentadas considerações sobre identidade e masculinidade negra, com destaque para aspectos de raça e classe. Em seguida, o texto trata de tensões vividas pelos homens negros em relações inter-raciais. A terceira parte é dedicada a uma interpretação do filme, a partir dos pressupostos teóricos, seguida de sugestões para uso em sala de aula. Corra! serve como metáfora para o espaço de subalternidade muitas vezes ocupado pelo homem negro em relações inter-raciais nas sociedades racialmente hierarquizadas, como a brasileira; e portanto pode ser utilizado como texto para discussões em disciplinas de educação das relações étnico-raciais.


Palavras-chave


identidade negra; relações inter-raciais; educação.

Texto completo:

PDF

Referências


BENTO, Maria A. S. Branquitude: o lado oculto do discurso sobre o negro. In: CARONE, Iray; BENTO, Maria A. S. (Orgs.). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2003, p. 147-162.

CARONE, Iray. Breve histórico de uma pesquisa psicossocial sobre a questão racial brasileira. In: CARONE, Iray; BENTO, Maria A. S. (Orgs.). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2003, p. 13-23.

CONRADO, Mônica; RIBEIRO, Alan. Homem Negro, Negro Homem: masculinidades e feminismo negro em debate. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 73-97, jan.-abr. 2017.

CUSTÓDIO, Túlio. Ser homem negro é um rascunho inconcluso e constante. Huffpostbrasil, 27 jan. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2018.

DO RIO, Pedro S. Brasileiros casam-se mais com pessoas de mesma etnia e instrução, diz IBGE. Bol Notícias, 17 ago. 2012.

Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2018.

FANON, Frantz. Os condenados da Terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC., 1988.

HOOKS, bell. Living to Love. In: PLOTT, Michele; UMANSKY, Lauri (Orgs.). Making Sense of Women’s Lives: An Introduction to Women’s Studies. Maryland: Rowman & Littlefield Publishers, 2000, p. 535-544.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Atlas da Violência 2017 mapeia os homicídios no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2018.

MELO, João. Corra! (Get out) é o filme mais lucrativo do ano. Heróis da TV, 05 ago. 2017. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2018.

MOTTA, Leda T; FURASO, Márcia C. F. Cinema e Educação: reflexões e interfaces. Comunicação & Educação, ano XIX, n. 2, p. 39-49, jul.-dez., 2014.

PEELE, Jordan. Jordan Peele breaks down Get Out fan theories from Reddit / Vanity Fair. Youtube, 01 dez. 2017. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2018.

PINTO, Márcia C. C; FERREIRA, Ricardo F. Relações raciais no Brasil e a construção da identidade da pessoa negra. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del-Rei, v. 9, n. 2, p. 257-266, jul.-dez. 2014.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura S.; MENESES, Maria P. (Orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009, p. 73-117.

RACIONAIS MC´S. Vida Loka II. Nada como um dia após o outro dia. Cosa Nostra, São Paulo, 2002.

REIS FILHO, José T. Negritude e sofrimento psíquico: uma leitura psicanalítica. 2005. 142f. Tese (doutorado Psicologia Clínica). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

SANTOS, Joel R. O que é racismo. São Paulo: Brasiliense, 1984.

SANTOS, Wellington O. Identidade negra, relações étnico-raciais na diáspora e o filme Pantera Negra: para uma discussão educacional. REU – Revista de Estudos Universitários, Sorocaba, SP, v. 44, n. 1, p. 69 – 89, jun. 2018.

SILVA, Paulo V. B. Relações raciais em livros didáticos de língua portuguesa. 2005. 228f. Tese (doutorado em Psicologia Social). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

SOUZA, Neuza S. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

TELLES, Edward. Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.




DOI: https://doi.org/10.22409/ppgmc.v12i3.27139

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano - PPGMC (UFF)

Endereço: Rua Tiradentes, nº 148 - Ingá - Niterói - Rio de Janeiro - CEP 24.210-510

Site: http://www.ppgmidiaecotidiano.uff.br

Telefone/Fax: (21) 2629-9684/ (21) 2629-9681