O “cubanito” suspeito: a pornografia gay como ferramenta de problematização da realidade social e cultural

Antônio Cristian Saraiva Paiva, Júnior Ratts

Resumo


Este artigo tem por objetivo, a partir da análise do discurso do filme pornô gay estadunidense “O náufrago com sorte”, compreender como os processos de conotação e denotação (MACHADO, 2007) das narrativas do pornô podem ser úteis para entender o produto midiático pornográfico como um mecanismo de reiteração e subversão de discursos normativos sobre gênero, sexualidade, raça e nacionalidade. Para tanto, o trabalho toma como base fundamental para seu desenvolvimento a teoria da estruturação de Giddens (2003), as teses de Bourdieu (2007) sobre o gosto em A Distinção e às propriedades formais dos signos apresentadas por Santaella (2004) a fim de mostrar como a mídia articula e/ou desarticula a complexidade das verdades culturais e sociais produzidas por memórias geradas e geradoras pelo/do imaginário cultural, o qual, por sua vez, procura conformar a fixidez dos corpos em determinados papéis sociais.


Palavras-chave


Mídia; Imaginário; Memória; Subjetividade; Pornografia

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Nuno Cesar. O olhar pornô: A representação do obsceno no cinema e no vídeo. Campinas, Mercado de Letras, 1996.

AUGUSTO, Sérgio. Este mundo é um pandeiro. São Paulo, Companhia das Letras, 1989.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: EDUSP; Porto Alegre: Zouk, 2007.

BUTLER, Judith. Corpos que pensam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Horizonte, Autêntica, 2007;

DUERR, Hans Peter. Nudez e pudor: o mito do processo civilizacional. Editorial Notícias, Lisboa, 2002.

ELIAS, Norbert. Teoria simbólica. Oeiras: Celta, 1994.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

GIDDENS, Antony. A constituição da sociedade, São Paulo: Martins Fontes, 2009.

LANDOWSKI, Eric. Presenças do outro. Editora Perspectiva, São Paulo, 2009.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. Petrópolis, Editora Vozes, 2ª Ed., 2007;

__________. Antropologia do corpo e modernidade. Petrópolis, Rio de Janeiro, 2012.

LOBO, João. O essencial é invisível. Ideia/Forma, Lisboa, 2009.

LEITE, Jorge Jr. Das maravilhas e prodígios sexuais: a pornografia “bizarra” como entretenimento. São Paulo: Annablume, 2006.

__________. A pornografia “bizarra” em três variações: a escatologia, o sexo com cigarros e o “abuso facial”. (in) DÍAZ-BENÍTEZ, María Elvira; FÍGARI, Carlos Eduardo. Prazeres dissidentes. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

MACHADO, Arlindo. O sujeito na tela: modos de enunciação no cinema e no ciberespaço. São Paulo, Paulus, 2007.

RATTS, Júnior. O corpo-pornô: reflexões sobre seus desdobramentos sociais e culturais. (in) Revista Polêmica, v.15, n.3, dez. 2015. Disponível em < http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/polemica/issue/view/1121>. Acesso em 15 de fevereiro de 2016.

RATTS, Júnior. Enunciados sobre um corpo-pornô negro e deficiente: o diferente que subverte ou a diferença que reproduz discursos normativos?. (in) Revista Periodicus – Revista em Estudos Indicisplinares em Gêneros e Sexualidade, v.1, n.4, jan. 2016. Disponível em < http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaperiodicus/issue/view/1206>. Acesso em 15 de fevereiro de 2016.

SANTAELLA, Lucia. Semiótica aplicada. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, nº 2,jul./dez. 1995.

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da sociologia. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 2006.




DOI: https://doi.org/10.22409/ppgmc.v8i8.9774

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano - PPGMC (UFF)

Endereço: Rua Tiradentes, nº 148 - Ingá - Niterói - Rio de Janeiro - CEP 24.210-510

Site: http://www.ppgmidiaecotidiano.uff.br

Telefone/Fax: (21) 2629-9684/ (21) 2629-9681