CONTRIBUIÇÕES DA REDE DE COMBATE AO TRABALHO ESCRAVO NA CONSTRUÇÃO DE REPRESENTAÇÕES DA TEMÁTICA NA MÍDIA: análise da atuação da CPT (Comissão Pastoral da Terra) e do MHuD (Movimento Humanos Direitos)

Flávia Almeida Moura, Osmilde Miranda

Resumo


O presente artigo apresenta alguns caminhos metodológicos utilizados numa pesquisa em andamento no campo da Comunicação que busca compreender as contribuições de duas entidades que formam a rede (ARAUJO, 2002) de combate ao trabalho escravo contemporâneo no Brasil na construção das representações (HALL, 2013) acerca do tema na mídia brasileira. As entidades apresentadas nesta comunicação são a CPT (Comissão Pastoral da Terra) e o MHuD (Movimento Humanos Direitos. Como resultados preliminares, apontamos algumas estratégias de comunicação das entidades supracitadas, principalmente facilitadas pelo uso da internet, como formas de participação na construção de representações midiáticas e mesmo da opinião pública (HABERMAS, 1984) sobre a temática.


Palavras-chave


Mídia, estratégias de comunicação, representações, trabalho escravo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Enesita Soares. Mercado simbólico: interlocução, luta, poder. Um modelo de comunicação para políticas públicas. Tese de doutorado, CFCH/UFRJ, Rio de Janeiro, 2002.

ESTERCI, Neide. Escravos da Desigualdade: estudos sobre o uso repressivo da força de trabalho hoje. Cedi. Rio de Janeiro, 1994.

FIGUEIRA, Ricardo Rezende. Rio Maria, canto da terra. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 2008.

HABERMAS, Jürgen. Mudança Estrutural da Esfera Pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Ed. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, 1984.

HALL, Stuart. El trabajo de larepresentación. In Sin garantias: Trayectorias y problemáticas enestudiosculturales. Perú/Colômbia/Ecuador, 2010.

HENRIQUES, Márcio Simeone (Org.). Comunicação e Estratégias de Mobilização Social. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

LANDIM, Leilah. (Org.) Ações em Sociedade: militância, caridade, assistência etc. Rio de Janeiro: NAU, 1998.

MOURA, Flávia. Trabalho Escravo e Mídia: olhares de trabalhadores rurais maranhenses. EDUFMA. São Luís, 2016.

NOVELLI, Ana Lucia. Esfera pública interna às organizações: um desafio para as relações públicas. In: Comunicação: discursos, práticas e tendências. BARROS, Antonio Teixeira de; DUARTE, Jorge Antonio Menna; MARTINEZ, Regina Esteves[org.], São Paulo: Rideel; Brasília : UniCEUB, 2001.

__________ Os pobres possuirão a terra: pronunciamento de bispos e pastores sinodais sobre a terra. Editora Paulinas. São Paulo, 2006.

PENA, Filipe. Teoria do Jornalismo. São Paulo, 2013.

PRUDÊNCIO, Kelly Cristina de Souza; SANTOS, Jocelaine Josmeri dos. Mídia e movimentos sociais: um esboço metodológico a partir da frame analysis de Erving Goffman. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho Comunicação e Sociedade Civil do IV Encontro da Compolítica, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 13 a 15 de abril de 2011.

SILVA, António Paiva da. Análise das estratégias de comunicação da Campanha Nacional de Prevenção e Combate ao Trabalho escravo da Comissão Pastoral da Terra. Monografia, UFMA, São Luís, 2014.

SILVA, Moisés Pereira da. O Trabalho Escravo Contemporâneo e a atuação da CPT no Campo (1970-1995). Tese de doutorado. PUC-SP. São Paulo, 2016.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? São Paulo: Edições Loyola, 2002.




DOI: https://doi.org/10.22409/ppgmc.v11i1.9809

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano - PPGMC (UFF)

Endereço: Rua Tiradentes, nº 148 - Ingá - Niterói - Rio de Janeiro - CEP 24.210-510

Site: http://www.ppgmidiaecotidiano.uff.br

Telefone/Fax: (21) 2629-9684/ (21) 2629-9681