BRASIL RURAL COMO ESPAÇO DE OPORTUNIDADES E PRIVAÇÕES: representações de uma categoria em transformação

Ada Cristina Machado da Silveira, Clarissa Schwartz

Resumo


O presente artigo propõe-se a analisar as representações do rural brasileiro na televisão aberta nacional. A abordagem teórica reconhece o debate sobre as ruralidades e a emergência do novo rural brasileiro. A pesquisa busca apropriar-se de procedimentos da Teoria das Representações Sociais. O objeto empírico de análise escolhido foi a edição intitulada “A vida no campo” exibida pelo Globo Repórter, programa televisivo da Rede Globo de Televisão em 2015. Entre os resultados, apontamos que as representações do rural brasileiro veiculadas no programa oscilam numa polaridade definida pela themata que reconhece a oposição entre um espaço de oportunidades e ambiente de privações, construídas principalmente a partir de associações atribuídas ao urbano ou a distinções operadas desde o espaço urbano. 

Palavras-chave


Meio Rural; Representação Social; Televisão

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, L.. S.; ALVES, M. S. Themata. Cadernos CESPUC, Belo Horizonte, n. 23, 2013.p. 69-76. . Disponível em: Acesso em: abril 2015.

BONOMO, M.; SOUZA, L. (2013). Representações hegemônicas e polêmicas no contexto identitário rural. Avances em Psicología Latinoamericana, Bogotá, v. 31; n.2, p. 402-418.

CANTU, A; CIMADEVILLA, G. Comunicación y ruralidad. Vigência y obsolescencia de las teorias clássicas. In: CIMADEVILLA, G; CARNOGLIA, E. Comunicación, ruralidade y desarrollo. Buenos Aires: INTA, 2004. p. 200-230.

CARNEIRO, M. J. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura. n. 11, Out. 1998. p. 53-75.

CENTENO, M.E. Governance del território en el corredor Quines-Candelaria, província de San Luis. San Luis: INTA, 2011.

CULAU, D. C. O canal rural no espaço agrícola em Cruz Alta. Dissertação (Mestrado em Extensão Rural) - Universidade Federal de Santa Maria, 2004.

CUNHA, R. R. C. da; DARDE, V. W. da S.; LEME, F. A. As contribuições da TV para o desenvolvimento do campo e construção de novas representações sobre o rural. Sessões do Imaginário. Porto Alegre, v. 20 , n. 34 , 2015 , p. 18-26. Disponível em: Acesso em: 20 mar. 2016.

DUARTE, E. B. Como caracterizar qualidade em relação à produção da Rede Globo de Televisão? Estudos em Jornalismo e Mídia, Florianópolis, v.10, n.2, jan-dez, 2013. Disponível em: < http://encurtador.com.br/fhiEN> Acesso em: 10 jan 2015.

DUARTE, J. Metodologia para análise de processos de comunicação em cadeias produtivas do agronegócio. In: DUARTE, J.; RIBEIRO, R.M. Comunicação em ciência e tecnologia. Brasília: EMBRAPA: 2006. p.139-170.

GLOBO REPÓRTER. Conheça a história do Globo Repórter. Rio de Janeiro, 09 março 2017. Disponível em:

< http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2010/04/conheca-historia-do-globo-reporter.html> Acesso em: 20 maio 2017.

GRAZIANO DA SILVA, DEL GROSSI, M; CAMPANHOLA, C. O que há de realmente novo no rural brasileiro. Cadernos de Ciência e Tecnologia. Brasília: Embrapa, v. 19; n.1 p. 37-67. Jan - Abr. 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo agropecuário 2006. Rio de Janeiro, 2006. Disponível em:

. Acesso em: 30 set. 2009.

JODELET, D. (Org.). Representações sociais. Rio de Janeiro: UFRJ, 1993. p.31-61.

KAGEYAMA, A. Pluriatividade e Ruralidade: Aspectos Metodológicos. Economia Aplicada, São Paulo, v. 2, n. 3, 1998. p.515-551.

MATTOS, S. A televisão no Brasil: 50 anos de história. Salvador: PAS/Ianamá, 2000.

_____ Emile G. McAnany. Portal Metodista do Brasileirismo Comunicacional. Disponível em: Acesso em: 20 junho 2017.

MOSCOVICI, Serge. Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. Trad. Pedrinho A. Guareschi. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2009. 404 p.

PORTAL BRASIL. Operações para o Censo Agropecuário 2017 começam em outubro. Brasília, 03 abril 2017. Disponível em: Acesso em: 20 maio 2017.

SÁ. C. P. A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ. 1988.

SAPPER, S.M Cenários de constituição de um dispositivo técnico-midiática voltado para o campo: realidades instituidoras do Canal Rural. In: DUARTE, J.; RIBEIRO, R.M. Comunicação em ciência e tecnologia. Brasília: EMBRAPA: 2006. p.597-622.

SIQUEIRA, F. C. de; VIZEU, Alfredo. Jornalismo em transformação: as escolhas dos formatos de notícias na TV. In: VIZEU, A. et al. Telejornalismo em questão. Florianópolis: Insular, 2014. p. 53-76.

SODRÉ, M. Comunicação: um campo em apuros teóricos. Matrizes, São Paulo, ano 5, n. 2 jan-junho 2011. p. 11-27.

WANDERLEY, M. N. B. A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas avançadas – “o rural” como espaço singular e ator coletivo. Estudos Sociedade e Agricultura. Rio de Janeiro: CPDA/UFRRJ, n. 15, Out. 2000. p. 87-145.




DOI: https://doi.org/10.22409/ppgmc.v11i2.9828

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano - PPGMC (UFF)

Endereço: Rua Tiradentes, nº 148 - Ingá - Niterói - Rio de Janeiro - CEP 24.210-510

Site: http://www.ppgmidiaecotidiano.uff.br

Telefone/Fax: (21) 2629-9684/ (21) 2629-9681