O grande carrossel urbano de Jacques Tati: a transição para uma modernidade urbana construída através dos filmes Mon Oncle e Playtime

Eliana Kuster

Resumo


O artigo atravessa dois filmes do mesmo diretor francês para, na transição entre eles, promover a compreensão da ideia de modernidade
urbana, não apenas em sua morfologia, mas, em especial, no sentido
sociológico. Os filmes de Tati mostram a transição entre duas cidades: vemos revezarem-se na tela a Paris do século XIX, com suas vielas estreitas, suas construções em tons pastel e sua mistura de usos e ocupação do território e uma Paris que já pertence ao século XX, com novas formas, nova tecnologia e novos comportamentos. Trataremos, a partir desses filmes, o tema de como os sinais do moderno se impõem, trazendo mudanças nas formas de comportamento, na estética e nas maneiras de viver.


Palavras-chave


cinema; cidade; modernidade

Texto completo:

PDF

Referências


AUGÉ, Marc. Não-lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. São Paulo: Papirus, 2005.

ALMEIDA, Paulo Ricardo. Parade. Contracampo, Revista de Cinema, n. 73, julho 2005.

BAZIN, André e TRUFFAUT, François. Entretien avec Jacques Tati. Paris: Cahiers du cinéma, 1958.

BEGUIN, François. As maquinarias inglesas do conforto. Espaço & Debates (NERU), n. 34, 1991.

BRESCIANI, Maria Stella. Metrópoles, as faces do monstro urbano das cidades no século XIX. Revista Brasileira de História, São Paulo

(ANPUH, Marco Zero), v. 5, n. 8 e 9, 1984-1985.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 1997.

EDE, François e GOUDET, Stephane. Playtime. Paris: Cahiers du cinéma, 2002.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: história da violência nas prisões. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

GUERAND, Jean-Philippe. Jacques Tati: biographie. Paris: Galimard, 2007.

LANDROT, Marine. Tati: un drôle de numéro. In: Tati: quoi de neuf M. Hulot? Télérama hors série. Paris: Fondation Gan pour le cinéma, s/d.

LUCAS, Meize Regina de Lucena. Imagens do moderno: o olhar de Jacques Tati. São Paulo: Annablume, 1998.

TRUFFAUT, François. Hitchcock/Truffaut. São Paulo: Editora Brasiliense, 1986.

WEINBERG, Juliana. A cidade transparente. In: NAZARIO, Luiz. A cidade imaginária. São Paulo: Perspectiva, 2005.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1421-22.137-150

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Eliana Kuster