Espaço público em fuga: arte e arquitetura brasileiras na virada dos anos 1960s

Guilherme Wisnik

Resumo


Este artigo analisa o espaço público na arte e na arquitetura brasileiras no fim dos anos 1960. Mostra como houve uma fulguração de radicalidade política no campo da arte, privilegiando em suas análises o caso da arquitetura e do urbanismo a partir das figuras emblemáticas de
Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha em suas respectivas propostas
de politizar o pensamento sobre o urbano no Brasil de então.


Palavras-chave


arte e arquitetura nos anos 1960; Vilanova Artigas; Paulo Mendes da Rocha

Texto completo:

PDF

Referências


ACCONCI, Vito. Vito Hannibal Acconci Studio. Barcelona: MACBA/Actar, 2005.

ARTIGAS, Vilanova. Em branco e preto. Arquitetura e Urbanismo – AU, n. 17, 1988.

BANHAM, Reyner. Age of the Masters: a Personal View of Modern Architecture. Londres: The Architectural Press, 1962.

BARDI, Lina Bo. Casas de Vilanova Artigas. Habitat, n. 1, out.-dez. 1950.

BRAGA, Paula (org.). Fios soltos: a arte de Hélio Oiticica. São Paulo: Perspectiva, 2008.

CARNEIRO, Lúcia e PRADILLA, Ileana. José Resende. Rio de Janeiro: Lacerda Editores, 1999.

CENTRO DE ARTE Hélio Oiticica. Hélio Oiticica. Rio de Janeiro, 1996.

CORRÊA, Zé Celso Martinez. Don José de la Mancha (entrevista a Hamilton Almeida Filho). In: CORRÊA, Zé Celso Martinez, e STAAL,

Ana Helena Camargo. Primeiro ato: cadernos, depoimentos, entrevistas (1958-1974). São Paulo: Editora 34, 1998.

FRAMPTON, Kenneth. L’autre Le Corbusier: la forme primitive et la ville linéaire. L’Architecture d’Aujourd’hui, n. 249, 1987.

HOLLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhias das Letras, 1998 (1936).

LOPES, Karina e COHN, Sérgio (org.). Encontros Zé Celso Martinez Corrêa. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2008.

MAMMÌ, Lorenzo. João Gilberto e o projeto utópico da bossa nova. Novos Estudos Cebrap, no. 34, São Paulo, Cebrap, nov.1992. p.

-70.

MORAIS, Frederico. Do corpo à terra. In: DRUMMOND, Marconi (org.). Neovanguardas. Belo Horizonte: Museu de Arte da Pampulha, 2008.

MOTTA, Flávio. Paulo Mendes da Rocha. Acrópole, n. 343, set. 1967

OITICICA, Hélio. Aspiro ao grande labirinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

RAMOS, Nuno. À espera de um sol interno. In: RAMOS, Nuno. Ensaio geral: projetos, roteiros, ensaios, memórias. São Paulo: Editora Globo, 2007.

SALZSTEIN, Sônia. Notas sobre a escala pública na escultura brasileira. In: SALZSTEIN, Sônia (org.). Fronteiras. São Paulo: Itaú

Cultural, 2005.

SCULLY JR., Vincent. Arquitetura moderna: a arquitetura da democracia. São Paulo: Cosac Naify, 2002.

SÜSSEKIND, Flora, Chorus, Contraries, Masses: The Tropicalist Experience and Brazil in the Late Sixties. In: BASUALDO, Carlos (ed.). Tropicália: a Revolution in Brazilian Culture, 1967-1972. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

TEIXEIRA, Manuel C. e VALLA, Margarida. O urbanismo português: séculos XIII-XVIII, Portugal-Brasil. Lisboa: Livros Horizonte, 1999.

VELOSO, Caetano. Diferentemente dos americanos do norte. In: FERRAZ, Eucanaã (org.). O mundo não é chato. São Paulo:

Companhia das Letras, 2005.

WISNIK, Guilherme. Vilanova Artigas and the Dialectics of Stress. 2G – Revista Internacional de Arquitectura, Barcelona, Gustavo Gili, n. 54, 2010.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1320.17-32

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Guilherme Wisnik