Charles Baudelaire: contemporâneo do passado, do presente e do futuro

Eduardo Augusto Alves de Almeida

Resumo


Este artigo procura discutir, a partir de uma afirmação de Charles
Baudelaire escrita em 1863, o conceito de contemporâneo que permeia as criações artísticas recentes. Isso é possível por meio de um diálogo com autores – filósofos, críticos, artistas, entre outros – que se dedicam ao tema, procurando identificar semelhanças e desacordos, em especial no que diz respeito ao regime de pensamento e sua relação com o passado. O contemporâneo, no caso, não se reduz a uma apreensão cronológica do espaço-tempo, mas ao conjunto de questões que permanecem relevantes para o melhor entendimento das pessoas e do contexto sócio-estético-político em que atuam, criam, pensam e transformam. Questões que têm origem na modernidade de Charles Baudelaire e que ainda hoje produzem ressonâncias.


Palavras-chave


contemporaneidade; modernidade; estética e política; arte; literatura

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? In: O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

BAUDELAIRE, Charles. O pintor da vida moderna. In: O pintor da vida moderna. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito da História. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BERMAN, Marshall. Baudelaire: o modernismo nas ruas. In: Tudo o que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São

Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BRETT, Guy. Um salto radical. In: ADES, Dawn. Arte na América Latina: a era moderna, 1820-1980. São Paulo: Cosac & Naify, 1997.

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? In: O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

BAUDELAIRE, Charles. O pintor da vida moderna. In: O pintor da vida moderna. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito da História. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BERMAN, Marshall. Baudelaire: o modernismo nas ruas. In: Tudo o que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São

Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BRETT, Guy. Um salto radical. In: ADES, Dawn. Arte na América Latina: a era moderna, 1820-1980. São Paulo: Cosac & Naify, 1997.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1320.73-84

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Eduardo Augusto Alves de Almeida