A preservação da arte contemporânea

Magali Melleu Sehn

Resumo


A preservação da arte contemporânea tem sido um grande desafio para todos os profissionais que trabalham com tais categorias de acervo. Apesar de grande parte da produção artística contemporânea ainda ser produzida com métodos tradicionais, as instituições têm a difícil missão de preservar a arte efêmera, a arte multimídia e a arte composta de materiais diversos. As propostas, mais conceituais que técnicas, entram em confronto com as atribuições do museu, ou seja, com a aplicabilidade dos códigos de ética que, até então, eram adotados para as obras dos séculos anteriores.


Palavras-chave


arte contemporânea; instalações de arte; preservação; documentação; aquisição; artista

Texto completo:

PDF

Referências


CODDINGTON, James. The Case Against Amnesia. In: CORSO, M.A. (ed.). Mortality Immortality? The Legacy of 20th Century Art. Los Angeles: J. Paul Getty Trust, 1999. 20 p.

FRANÇA, Rafael. Videoinstalação. In: COSTA, Helouise (org.). Sem medo da vertigem. São Paulo: Marca D’ Água, 1997. 90 p.

FISKE, Tina. White Walls: Installations, Absence, Iteration, and Difference. In: RICHMOND, Alison; BRACKER, Alison (ed.). Principles, Dilemmas, and Uncomfortable Truths. Londres: V&A, 2009. p. 229-240.

HUMMLEN, Y; TATJA, S. Sharing Knowledge for the Conservation of Contemporary Art: Changing Roles in a Museum Without Walls? In: Modern Art, New Museums. IIC 2004, Bilbao. 208 p.

HUMMLEN, Y. The Conservation of Modern Art: New Methods and Strategies? In: CORSO M.A. (ed.). Mortality Immortality? The Legacy of 20th Century Art. Los Angeles: J. Paul Getty Trust, 1999. 72 p.

HUMMLEN, Y.; SILLÉ, D. (ed.). Modern Art: Who Cares? Londres: Archetype, 2005. 447 p.

HUYS, Frederika. A Methodology for the Communication with Artists. Disponível em: . Acesso em: 22 nov 2009.

LOURENÇO, Maria Cecília França. Museus Acolhem Moderno. São Paulo: Edusp, 1999. p. 53.

SEHN, Magali Melleu. A preservação de “instalações de arte” com ênfase no contexto brasileiro: discussões teóricas e metodológicas. 2010. 238 p. Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.

SEHN, Magali Melleu. Arte Contemporânea: da preservação aos métodos de intervenção. 2002. 106 p. Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.

SCHINZEL, Hiltrud. Mixed Media, Mixed Functions, Mixed Positions. In. HUMMELEN, Y; SILLÉ, D. (eds.). Modern Art: Who Cares? Londres: Archetype, 2005. 313 p.

SCHOLTE, Tatja & BALDOCK, Karen. Introduction. Disponível em: . Amsterdam. (Versão impressa - ICN/SBMK, 2007. 4 p.

STERRET, Jill. Contemporary Museums of Contemporary Art. In: RICHMOND, Alison; BRACKER, Alison (eds.), Principles, Dilemmas, and Uncomfortable Truths. Londres: V&A, 2009. p.223-228.

STRINGARI, Carol. Installations and Problems of Preservation. In: Modern Art: Who Cares? HUMMELEN, Y; SILLÉ, D. (eds.). Londres: Archetype, 2005. 272 p.

VANRELL, Arianne V. Prevención del riesgo de pérdida de Información en el montage de exposiciones y conservación de instalaciones de arte. In: CONGRESSO III - Grupo Español del IIC, Da teoría a la realidad. La Conservación infalible. Oviedo, IIC, 2007. p. 315-317.

WHARTON, Glenn; MOLOTCH, Harvey. The Challenge of Installation Art. In: RICHMOND, Alison; BRACKER, Alison (eds.). Principles, Dilemmas, and Uncomfortable Truths. Londres: V&A, 2009. p. 210-222.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1320.137-148

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Magali Melleu Sehn