Method in Madness – performance e representação nos vídeos de Sam Taylor Wood

Manoel Silvestre Friques

Resumo


Neste artigo, a tensão entre performance e representação é pensada a partir da análise de alguns trabalhos realizados pela artista inglesa Sam Taylor Wood, em especial, a série fotográfica Crying Men (2002-2004) e os vídeos Brontosaurus (1995), Hysteria (1999), Death Valley (2006) e Method in Madness (1998). Para isso, recorrese também a textos de Denis Diderot e Roland Barthes, com o objetivo de se estabelecerem as fronteiras e as semelhanças entre as figuras do ator e do performer.

Palavras-chave


Sam Taylor Wood; performance; videoarte

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. Mitologias. São Paulo: Difel, 1982.

DIDEROT, Denis. O paradoxo sobre o comediante. São Paulo: Escala, 2006.

GOLDBERG, Rose Lee. A arte da performance – do futurismo ao presente. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

GLUSBERG, Jorge. A arte da performance. São Paulo: Perspectiva, 2003.

LICHTENSTEIN, Jacqueline (org). Apresentação de Nadeije Laneyrie-Dagen. A pintura. Volume seis: A figura humana. São Paulo:

Editora 34, 2004.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1115.134-146

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Manoel Silvestre Friques