A construção de significação na dança

Valeska Figueiredo

Resumo


Este artigo visa apresentar alguns estudos que vêm propondo que a dança não apenas reflete ou representa a ordem social, como também constrói modos de operarmos no mundo. A dança gera significados ao reforçar, desarticular ou recriar alguns dos nossos gestos, ações corporais, interações com objetos e relações entre os corpos no espaço. Ao serem compartilhadas, estas significações afetam e constituem a nossa visão de mundo.

Palavras-chave


dança; significação; ordem social

Texto completo:

PDF

Referências


DAMÁSIO, António R. O mistério da consciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

______. Em busca de Espinosa: prazer e dor na ciência dos sentimentos. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

GREINER, Christine; KATZ, Helena. Por uma teoria do corpomídia. In: GREINER, Christine. O corpo: pistas para estudos indisciplinares.

São Paulo: Annablume, 2005.

KATZ, Helena. Todo corpo é corpomídia. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=11&id=87.

Acesso em: 09/01/2010.

LAKOFF, George; JOHNSON, Mark. Metáforas da vida cotidiana. Campinas: Mercado das Letras. São Paulo: EDUC, 2002.

______. Philosophy in the Flesh: the embodied mind and its challenge to western thought. Montreal: Basic Books, 1999.

JOHNSON, Mark. The meaning of the body: aesthetic of human understanding. Chicago & London: The University of Chicago Press,

HEWITT, Andrew. Social Choreography: ideology as performance in dance and everyday movement. Durham and London:

Duke University Press, 2005.

MATURANA, Humberto. A ontologia da realidade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1997




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1115.147-159

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Valeska Figueiredo