A crítica de arte como gênero e conceito

Martha D'Angelo

Resumo


O artigo identifica os traços mais característicos de algumas das principais vertentes da crítica de arte no século XX, investigando os fundamentos teóricos e conceituais que sustentam suas análises e localizando afinidades e divergências no conjunto das abordagens. O texto é parte de um estudo mais amplo sobre crítica.

Palavras-chave


crítica de arte; teoria estética; leitura da obra de arte.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Mário. “O Artista e o Artesão” in: ______. O Baile das Quatro Artes. São Paulo: Martins Editora/Instituto Nacional do Livro

/MEC, 1975.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte e Crítica de Arte. Tradução de Helena Gubernatis. Lisboa: Editorial Estampa, 1988.

ARGAN, Giulio Carlo. Crítica de Arte – Uma perspectiva antropológica. Concinitas, Rio de Janeiro, ano 6, volume 1, número 8, julho 2005.

BACHELARD, Gaston. O Direito de Sonhar. Introdução de José Américo Motta Pessanha. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991.

BACHELARD, Gaston. “A Poética do Espaço”.in: Gaston Bachelard. Tradução Antônio da Costa Leal e Lídia do Valle Santos Leal. São

Paulo: Abril Cultural, 1978. (Col. Os Pensadores).

BARTHES, Roland. Crítica e Verdade. Tradução de Leyla Perrone Moisés. São Paulo: Perspectiva, 2003.

BENJAMIN, W. Charles Baudelaire, um lírico no auge do capitalismo. 1ª. edição. Tradução de José Martins Barbosa e Hermerson Alves

Batista. São Paulo: Brasiliense, 1989 (Obras escolhidas, v. 3).

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura/Walter Benjamin. Tradução de Sérgio Paulo

Rouanet, prefácio de Jeanne Marie Gagnebin. São Paulo: Brasiliense, 1994 (Obras Escolhidas I).

BENJAMIN, W. O Conceito de Crítica de Arte no Romantismo Alemão/ Walter Benjamin; Tradução, prefácio e notas de Marcio

Seligmann Silva. São Paulo: EDUSP/Iluminuras, 2002.

BOLLE, Willi. Fisiognomia da Metrópole Moderna. Representação da História em Walter Benjamin. São Paulo: Editora da Universidade

de São Paulo, 1994.

CÂNDIDO, Antônio. Literatura e Sociedade. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1985.

CAVALHEIRO, Edgard. (org.) Testamento de uma Geração. Porto Alegre: Editora Globo, 1944.

DUFRENNE, Mikel. Estética e Filosofia. Tradução de Roberto Figurelli. São Paulo: Perspectiva, 2004.

ECO, Umberto. Obra Aberta. Tradução de Giovanni Cutolo. São Paulo: Perspectiva, 2003.

GREENBERG, Clement. Clement Greenberg e o Debate Crítico. Organização, apresentação e nota de Glória Ferreira e Cecília Cotrim

de Mello. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/MEC/FUNARTE, 1997.

JAMESON, Frederic Marxismo e Forma. Tradução de Iumna Maria Simon (Coordenação). São Paulo: Hucitec, 1985.

LUKÁCS, Georg. Ensaios sobre Literatura. Coordenação e prefácio de Leandro Konder. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia da Cultura Brasileira (1933-1974). São Paulo: Ática, 1985.

PROUST, Marcel. Nas Trilhas da Crítica. Tradução de Plínio Augusto Coelho. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Editora

Imaginário, 1994.

READ, Herbert. A Arte de agora, agora. Tradução de J. Guinsburg e Janete Meiches. São Paulo: Perspectiva, 1972.

READ, Herbert. As Origens da Forma na Arte. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1967.

SCHLEGEL, Friedrich. Conversa sobre Poesia e outros Fragmentos. Tradução, prefácio e notas de Victor-Pierre Stirnimann. São Paulo:

Iluminuras, 1994.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Ler o livro do Mundo. Walter Benjamin: Romantismo e Crítica Poética. São Paulo: Iluminuras, 1999.

VENTURI, Lionello. História da Crítica de Arte. Tradução: Rui Eduardo Santana Brito. Lisboa: Edições 70, 1998.

VIGOTSKI, L.S. A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 1999.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1115.196-227

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Martha D'Angelo