Mário Pedrosa e Cândido Portinari nos Estados Unidos (1942)

Marcelo Mari

Resumo


Nos Estados Unidos, Mário Pedrosa retoma sua atividade como crítico de arte, depois de nove anos da publicação de seu ensaio sobre Käthe Kollwitz. Em seu novo ensaio sobre o pintor Cândido Portinari, Pedrosa retoma o debate sobre o significado do realismo na arte brasileira e toma posição em face dos acontecimentos no Brasil e no mundo, que aproximaram Brasil e Estados Unidos em 1942.

Palavras-chave


Cândido Portinari; Mário Pedrosa; política cultural norte-americana

Texto completo:

PDF

Referências


BRETON, A. & TROTSKI, L. (1985). Por uma arte revolucionária independente. São Paulo: Paz e Terra: CEMAP.

COLBY, G. & DENNETT, C. (1998). Seja feita a vossa vontade: a conquista da Amazônia: Nelson Rockfeller e o evangelismo na idade do petróleo. Rio de Janeiro: Record.

FABRIS, A. T. (1990). Portinari: Pintor social. São Paulo: EDUSP & Perspectiva.

GREENBERG, C. (1996). Arte e cultura. São Paulo: Editora Ática.

GUILBAUT, S. (1985). How New York stole the idea of the modern art – abstract expressionism, freedom, and the cold war. Chicago:

The University of Chicago Press.

MACDONALD, D. (1957). The Memoirs of a Revolutionist Nova York: Farrar Straus Cudahy.

PEDROSA, M. (1981). Dos murais de Portinari ao s espaços de Brasília. (org. Aracy A. Amaral). São Paulo: Perspectiva.

PEDROSA, M. (1986). Mundo, homem, arte em crise. São Paulo: Editora Perspectiva.

SCHWARTZMAN, S. (1984). Tempos de Capanema. Rio de Janeiro: Paz & Terra; São Paulo: EDUSP.

SMITH, R. C. (1943). Murals by Cândido Portinari. Washington: The Hispanic Foundation of the Library of Congress.

TOTA, A. P. (2000). O imperialismo sedutor: a americanização do Brasil na época da Segunda Guerra. São Paulo: Companhia das

Letras.

TROTSKI, L. “El arte revolucionario y la Cuarta Internacional”. Disponível em

htm>. Acesso em: 28/2/2002.

WALD, A. M. (1987). The New York intellectuals: the rise and decline of the anti-stalinist left from the 1930s to the 1980s. North

Carolina: The University of North Carolina Press.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1014.32-43

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Marcelo Mari