O faroeste em John Ford e Glauber Rocha: a verdade e o mito da imagem

Rodrigo Cazes Costa

Resumo


Este artigo visa estudar como o retrato do gênero faroeste, nos filmes O homem que matou o facínora, de John Ford e Deus e o diabo na terra do sol, de Glauber Rocha, pode questionar a verdade, no sentido iluminista, teleológico, que uma imagem carrega, ou pretende carregar. Utilizo como apoio para minha reflexão os livros sobre cinema de Gilles Deleuze, Imagem-tempo e Imagem-movimento.

Palavras-chave


cinema; Glauber Rocha; John Ford

Texto completo:

PDF

Referências


Bakhtin, M. (2006). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: HUCITEC.

Bazin, A. (1991). “Ontologia da imagem fotográfica” in: Cinema: Ensaios. São Paulo: Brasiliense.

Deleuze, G. (1999). Imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense.

______________. (1985). Imagem-movimento. São Paulo: Brasiliense.

Ferreira, J. (2000). Cinema de invenção. São Paulo: Limiar.

Pasolini, P. P. (1986) “Cinema de prosa e cinema de poesia” in: Diálogos com Pasolini: Escritos (1957-1984). São Paulo: Nova Stella




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1014.102-113

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Rodrigo Cazes Costa