Arte em observação

Lígia Dabul

Resumo


Por meio da apresentação de dados etnográficos, o artigo descreve e analisa formas do público estabelecer contato com obras de arte expostas em centros culturais e museus de arte. Decompondo a observação das obras nos procedimentos de aproximação, permanência e visão, discute premissas embutidas em modelo de estudo do público da arte ainda calcado na relação um indivíduo / uma obra, e propõe uma abordagem voltada para práticas e interações sociais.

Palavras-chave


públicos; exposiciones de arte; prácticas sociales

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, P. (1979) La Distinction. Critique sociale du jugement. Paris: Les Editions de Minuit.

____________ (1989) “A institucionalização da anomia”. In O poder simbólico. Rio de Janeiro: Difel/Bertrand Brasil.

BOURDIEU, P. e DARBEL, A. (1969) L’amour de l’art. Les musées d’art européens et leur public. Paris: Les Editions de Minuit.

DABUL, L. (2008 a) “Conversas em exposição: sentidos da arte no contato com ela”. Arte & Ensaios. Nº 16.

____________ (2008 b) “Museus de grandes novidades: centros culturais e seu público”. Horizontes Antropológicos. Nº 29/14.

ESQUENAZI, J-P (2006) Sociologia dos Públicos. Porto: Porto Editora.

KOPTCKE, L. S.; CAZELLI, S.; LIMA, J. M. de. (2006) “Observatório de Museus e Centros Culturais. Pesquisa Piloto Perfil-Opinião

”. I Boletim, ano 01, agosto.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1014.214-241

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Lígia Dabul