Política de indexação no contexto da política arquivística de preservação digital do Centro de Documentação e Memória da UNESP – CEDEM

Mariângela Spotti Lopes Fujita, Sonia Troitiño

Resumo


Resumo: O acesso e recuperação de documentos da memória social brasileira é necessário para comprovar a identidade de movimentos político-sociais brasileiros. Para isso, existe uma logística operacional que envolve estratégias metodológicas da arquivística, da indexação, de interoperabilidade tecnológica e de preservação digital. A união dessas estratégias necessita planejamento mediante elaboração de política de indexação para representação documental com finalidade de precisão e revocação na recuperação. Este trabalho, de característica ensaística, propõe uma abordagem sobre as relações existentes entre as políticas de gestão documental e de indexação com o objetivo de refletir sobre a aplicabilidade da elaboração e implementação da política de indexação no âmbito arquivístico do Centro de Documentação e Memória da Unesp. A análise de uma política de indexação realizou-se com a avaliação do contexto da instituição mediante requisitos para a definição de elementos e variáveis influentes tanto na indexação quanto na recuperação. Entre os resultados destacam-se a necessidade de uso de vocabulário controlado e a sistematização do processo de indexação que propiciarão especificidade e/ou exaustividade. Considera-se que os resultados desta análise ensaística têm inovação porque proporciona visão gerencial à sistemas de recuperação da informação e de recursos informacionais em suporte digital para o contínuo aprimoramento dos métodos e instrumentos de representação documental direcionados ao contexto arquivístico.


Texto completo:

PDF

Referências


BARITÉ, M. et al. Diccionario de organización del conocimiento: clasificación, indización, terminología. 6.ed. corr.aum. Montevideo: CSIC, 2015. 212p.

BRASCHER, M., CAFÉ, L. Organização da informação ou organização do conhecimento? In: Enancib - Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 2008, São Paulo. Diversidade Cultural e Políticas de Informação, 2008.

CAMARGO, Célia Reis (org.). Guia do Acervo - Cedem. São Paulo: CEDEM/UNESP, 2008.

CARNEIRO, M. V. Diretrizes para uma política de indexação. R. Esc. Bibliotecon. UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 221-241, 1985.

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA UNESP. Política de desenvolvimento de coleções e aquisição de acervos. São Paulo: CEDEM, 2015. 8fls.

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA UNESP. I Fórum dos Centros de Documentação e Memória da Unesp. Apresentação de Solange Souza. Cedem/Unesp 30 anos - "Seminário e Fórum" Parte 4/5: dias 13 e 14 de novembro de 2017. São Paulo: CEDEM/UNESP, 2017. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=xyQ8iFOfjQU. Data de acesso: 18 jan. 2019.

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA UNESP. SisAcervo – Especificações Técnicas. São Paulo: s/d.

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA UNESP. Manual de Operações: módulo cadastramento. Sistema de Acervos Permanentes da Unesp. São Paulo: Grapha Studio/CEDEM, 2013.

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA DA UNESP. Relatório de Gestão 2017. São Paulo: dez/2017.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Recomendações para digitalização de documentos arquivísticos permanentes. Rio de Janeiro: CONARQ, 2010.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Resolução nº 31, de 28 de abril de 2010. Dispõe sobre a adoção das recomendações para digitalização de documentos arquivísticos permanentes. Diário Oficial da União, Brasília, ano CXVII, nº 82, seção 1, p. 01, 03 mai. 2010.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. Orientação Técnica nº 4 - Recomendações de uso do PDF/A para documentos arquivísticos. Rio de Janeiro: CONARQ, 2016. Disponível em: http://conarq.arquivonacional.gov.br/images/ctde/Orientacoes/Orientacao_tecnica_4.pdfData de acesso: 18 jan. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. NOBRADE: norma brasileira de descrição arquivística. Rio de Janeiro: Conselho Nacional de Arquivos, 2006.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISAD(g): Norma geral internacional de descrição arquivística. 2. ed. rev. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2000.

FOSKET, A. C. A abordagem temática da informação. São Paulo: Polígono, 1973.

FUJITA, M. S. L. A política de indexação para representação e recuperação da informação. In: GIL LEIVA, I., FUJITA, M. S. L. (Eds.) Política de indexação. São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2012. p.17-30. Disponível em: http://ebooks.marilia.unesp.br/index.php/lab_editorial/catalog/book/32. Acesso em: 30 de janeiro de 2019

FUJITA, M. S. L.; TROITIÑO, S. Política de indexação em arquivos de instituições de saúde. Inf. Pauta, Fortaleza, v.3, número especial, p.95-116, nov.2018. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/issue/view/Sinforgeds%202018/showToc~. Acesso em: 30 de janeiro de 2019.

FUSTER RUIZ, Francisco. Política archivística e planificación general de los archivos. In: RUIZ RODRÍGUEZ, Antonio Ángel (ed.). Manual de Archivística. Madrid: Editorial Sintesis, 1995. p. 281-324.

INTERNATIONAL COUNCIL ON ARCHIVES. ISAAR(CPF): International Standard Archival Authority Record for Corporate Bodies, Persons and Families. 2. ed., Paris: ICA, 2004.

INTERNATIONAL STANDARD ORGANIZATION. 19005-1. Document management – Electronic document fi le format for long-term preservation – Use of PDF 1.4 (PDF/A-1). International Organization for Standardization, 2005.

INTERNATIONAL STANDARD ORGANIZATION. 15489: Information and Documentation – Record Management - Part 1: Guidelines [Technical Report] (2001). Ginebra, Suiza: ISO, 2001.

LANCASTER, F. W. Information retrieval systems: characteristics, testing and evaluation. New York: John Wiley & Sons, 1968.

ORTEGA, C. D. Fundamentos da organização da informação frente à produção de documentos. Transinformação, v. 20, p. 1, 2008.

SCOTT, Peter. The record group concept: a case for abandonment. The American Archivist, [S.l.], v. 29, n. 4, p. 493-504, out. 1966. Doi: http://dx.doi.org/10.17723/aarc.29.4.y886054240174401.

SOUSA, Renato Tarcisio Barbosa de. O arquivista e as políticas públicas de arquivo. In: CONGRESSO NACIONAL DE ARQUIVOLOGIA, 2., 2006, Porto Alegre. Anais. Porto Alegre: ABARQ/UnB, 2006.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO. Processo RUNESP nº 595/1987 – Grupo de Trabalho para a Preservação de Documentos e Memória Histórica da Unesp. São Paulo:UNESP, 1987. 2v.

VÁSQUEZ MURILLO, Manuel. Hacia una política archivística. In: NAVARRO, Ana Célia. Archivos y documentos: textos seminales. SP: ARQ-SP, 2015.




DOI: https://doi.org/10.22409/pragmatizes.v0i16.27982

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


https://labacuff.wordpress.com/

https://www.ppcultuff.com/

http://iacs.sites.uff.br/

http://uff.br/

https://www.abecbrasil.org.br/novo/

http://iacs.sites.uff.br/graduacao_producao-cultural/

https://www.facebook.com/Pragmatizes-302946063167783/

https://sfdora.org/

https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=22753

https://www.redib.org/recursos/Search/Results?lookfor=pragmatizes