Desempenho produtivo e composição do leite de vacas da raça holandesa no final da lactação, manejadas em pastagem e suplementadas com diferentes níveis de concentrado

Marcelo Falci Mota, Duarte Vilela, Geraldo Tadeu dos Santos, Ana Cristina Wyllie Elyas, Fernando César Ferraz Lopes, Rui da Silva Verneque, Adalgiza Pinto Neto

Resumo


Foram utilizadas 36 vacas da raça Holandesa na fase final de lactação em um delineamento com parcelas sub-subdivididas,em pastejo de Coastcross, com o objetivo de se avaliar diferentes quantidades de suplementação: três e seis quilos deconcentrado, sobre o desempenho animal (produção e composição do leite, peso e condição corporal). O Coastcross manejadoem pastejo intermitente no período de verão, com lotação de cinco unidades animal por hectare apresentou em média 11,7%de PB; 70,2% de FDN; 35,2% de FDA e 63,7% de digestibilidade in vitro da matéria seca. A maior ingestão de concentrado pelasvacas que receberam seis quilos de concentrado não afetou (P>0,05) a produção de leite, os teores de proteína, gordura,lactose e sólidos totais do leite produzido. No entanto, o escore da condição corporal (ECC) e a contagem de células somáticas(CCS) aumentaram com a maior suplementação de concentrado. Concluiu-se então que a suplementação de vacas holandesasno terço final de lactação mantidas em pastejo de Coastcross sp, com três e seis quilos de concentrado, não influenciou o pesocorporal, a produção e a composição do leite (gordura, proteína, lactose e sólidos totais). No entanto, a maior suplementaçãoinfluenciou o ECC e a CCS.

Palavras-chave


vacas holandesas, Coastcross, suplementação, produção de leite, composição do leite

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV