Estudo comparativo de métodos complementares para o diagnóstico da tuberculose bovina em animais reagentes à tuberculinização

Suzana de Almeida Fráguas, Márcia Souza Cunha-Abreu, Ana Maria dos Reis Ferreira, Carla Dray Marassi, Walter Oelemann, Leila de Souza Fonseca, Rachel Ferreira, Walter Lilenbaum

Resumo


A tuberculose bovina é uma enfermidade infecciosa de ocorrência mundial. O teste intradérmico é o método padrão para seudiagnóstico da tuberculose, embora possa carecer de sensibilidade e especificidade. O presente estudo teve como objetivoavaliar diferentes métodos complementares para o diagnóstico da tuberculose bovina incluindo os exames macroscópicosde tecidos, histopatológico, bacteriológico e ELISA. Um total de 97 bovinos reagentes à prova de tuberculinização foi testado,e amostras de tecidos e soro foram colhidas no momento do abate. Do total de bovinos examinados, 70 (72,16%) apresentaramlesão macroscópica sugestiva de tuberculose. Na avaliação histopatológica, 63 animais (64,95%) apresentaram lesãogranulomatosa característica. Assim, a histopatologia concordou com a avaliação macroscópica em 92,78% das amostras.Em 47 (48,45%) amostras foram visualizados Bacilos Álcool Ácido Resistentes (BAAR), todas positivas à histopatologia ou àavaliação macroscópica. Com relação à cultura bacteriológica, foram isolados Mycobacterium bovis em apenas 11 amostras(11,34%). Quanto ao desempenho do teste de ELISA, 33 (34,02%) soros foram reativos. O exame macroscópico detalhadoassociado ao exame histopatológico, devido à sua alta especificidade, são recomendados como ferramentas complementarese podem ser utilizados para confirmar os casos duvidosos no abatedouro.

Palavras-chave


tuberculose bovina, exame macroscópico, histopatologia, bacteriologia, ELISA

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV