Efeitos do óxido nitroso sobre parâmetros cardiovasculares e respiratórios em cães anestesiados com diferentes doses de desfluorano

Newton Nunes, Celina Tie Nishimori, Almir Pereira de Souza, Paulo Sérgio Patto dos Santos, Danielli Parrilha de Paula, Márlis Langenneger de Rezende, Alessandra Valeiro Leite

Resumo


Estudaram-se possíveis alterações cardiovasculares e respiratórias provocadas pelo desfluorano associado ou não ao N2O.Para tal, utilizaram-se 30 cães adultos, machos ou fêmeas, sem raça definida e hígidos, distribuídos em dois grupos de igualnúmero denominados GD e GDN. Os animais do GD receberam propofol para a indução anestésica e imediatamente após,11,5V% de desfluorano diluído em 100% de O2. Decorridos 30 minutos do início da administração do anestésico volátil, o balãoreservatório foi esvaziado, reduziu-se a concentração em 1,44V% e o circuito anestésico foi saturado com a nova mistura.Repetiu-se o protocolo em intervalos de 15 minutos, até atingir a concentração anestésica equivalente a 8,64V%. O GDN foisubmetido ao mesmo protocolo, porém substituiu-se o fluxo diluente por 30% O2 e 70% N2O. Foram mensuradas as freqüênciascardíaca (FC) e respiratória (FR), pressões arteriais sistólica (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM), concentração dedióxido de carbono ao final da expiração (ETCO2) e saturação de oxi-hemoglobina (SpO2). As mensurações foram realizadasantes da indução anestésica (M0), aos 30 (M30), 45 (M45) e 60 (M60) minutos de anestesia. Observou-se aumento da FC comdiscreta redução da PA e diminuição da FR com conseqüente aumento da ETCO2, coincidindo com a maior dose de desfluoranoadministrada. Concluiu-se que maiores concentrações de desfluorano induzem alterações discretas nas variáveis testadas eque a adição de N2O na mistura diluente não determina interferências significativas nos achados.

Palavras-chave


anestesia inalatória, desfluorano, óxido nitroso, cães

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV