Listeriose em ovinos associada ao consumo de silagem no Rio Grande do Norte

Antônio Carlos Lopes Câmara, Robério Gomes Olinda, Jael Soares Batista, Francisco Marlon C. Feijó, Rafael Duarte Almeida

Resumo


O relato objetivou descrever os achados epidemiológicos, clínico-patológicos, laboratoriais e microbiológicos em um surto de meningoencefalite em ovinos por Listeria monocytogenes associado ao consumo de silagem. A enfermidade acometeu oito ovinos pertencentes a um rebanho de 600 animais, alcançando letalidade de 100%. A única ovelha examinada apresentou apatia, febre, cegueira bilateral com midríase, hipotonia lingual, nistagmo e torneio à direita com quedas esporádicas. A hematologia revelou linfopenia absoluta com inversão na relação de linfócito / neutrófilo (0,16). A análise do líquido cefalorraquidiano (LCR) mostrou aspecto turvo e pleocitose neutrofílica (92 leucócitos/µL). L. monocytogenes foi isolada em quatro alíquotas de LCR submetidas à cultura microbiológica. Em quatro ovinos necropsiados, as lesões macroscópicas consistiram de congestão das meninges e turbidez do LCR. Microscopicamente, a principal característica foi meningoencefalite do troco encefálico, bulbo, ponte, mesencéfalo e medula oblonga, com microabscessos multifocais e gliose. Infiltrado neutrofílico e linfocítico multifocal nos fascículos do nervo trigêmeo foi também observado. Os autores reiteram a importância das medidas preventivas, a fim de reduzir a incidência da listeriose.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV