Características produtivas da lactação de quatro grupos genéticos F1 Holandês x Zebu

José Reinaldo Mendes Ruas, Edilane Aparecida da Silva, Domingos Sávio Queiroz, Marcos Eduardo Gonçalves Pereira, José Afonso Gonçalves Gonçalves Soares Júnior, Marcelo Diniz Santos, Vicente Ribeiro Rocha Júnior, Maria Dulcinéia da costa

Resumo


Estudou-se a lactação de vacas F1 Holandês x Gir, Holandês x Guzerá, Holandês x Azebuado e Holandês x Nelore em nove ordens de partos obtida em duas ordenhas diárias. Analisou-se a produção média diária, o pico de lactação, o dia que ocorreu o pico e a proporção da produção na primeira e segunda ordenha diária. O sistema de produção, no qual os animais foram criados, utilizava-se de pastagens de Brachiaria decumbens e Brachiaria brizanta como alimentação volumosa na época das chuvas e silagem de milho e ou cana-de-açúcar como suplementos na época da seca.. A ração concentrada foi fornecida de acordo com a produção leiteira. Observou que todas as características avaliadas foram diretamente influenciadas pela ordem de partos e base materna. Dentre os resultados encontrados, destaca-se que, a produção média diária de leite das vacas F1 Holandês x Gir e Holandês x Azebuado foram maiores e similares entre si, enquanto que vacas F1 Holandês x Guzerá e Holandês x Nelore tiveram menores produções e também foram similares entre si. Conclui-se que todos os grupos genéticos podem ser utilizados para a produção de leite por apresentarem produções médias diárias superiores a 10 kg/vaca/dia, sendo compatíveis com a produção de leite em pasto.


Palavras-chave


ordenha, pico de lactação, produção média diária

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV