Aglutininas anti-leptospira em jumentos nordestinos criados na microrregião de Patos, Paraíba, Brasil no período de 1996 a 1997

Vandecleide Rodrigues Lima, Clebert José Alves, Sílvio Arruda Vasconcellos, Zenaide Macedo Morais, Josué Oliveira Moreira

Resumo


Tendo em vista a escassez de informações científicas nas mais diversas áreas do conhecimento (Produção Animal,Reprodução e Sanidade Animal) e, mediante a importância da leptospirose como infecção transmissível entre os animaise o homem, foi investigada a presença de aglutininas antileptospiras em jumentos criados na região semi-árida dePatos, Paraíba, associando-se os resultados a possíveis perturbações na esfera reprodutiva. Amostras de soro sangüíneode 90 jumentos foram submetidas à avaliação através da técnica de soroaglutinação microscópica (SAM) aplicada àleptospirose, com utilização de 24 sorotipos (australís, bratislava, autumnalis, butembo, castellonis, bataviae, canico/a,whitcombi, cynopteri, grippotyphosa, hebdomadis, copenhageni, icterohaemorrhagiae, javanica, panama, pomona,pyrogenes, hardjo, wolffi, shermani, tarassovi, sentot, andamana e patoc), obtendo-se como resultado de aglutinação ossorotipos australis, pyrogenes, pomona, icterohaemorrhagiae e castellonis, com predominância para o australis. Aanálise estatística, utilizando o programa EPIDAT 1.0, segundo o teste de Qui-Quadrado com nível de significância de5%, não revelou diferenças significativas entre as variáveis estudadas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV