Qualidade da carcaça de suínos submetidos a restrição alimentar na fase de terminação e abatidos em diferentes pesos

Helomar Cristina Almeida Barbosa, Antonio Assis Vieira, Fernando Queiroz Almeida, Rogério Marcos Souza, Joaquim Ferreira Campos

Resumo


Objetivou-se avaliar a qualidade da carcaça de suínos abatidos em diferentes pesos e submetidos a diferentes níveis derestrição alimentar e de energia líquida (EL) na fase de terminação. Foram utilizados 144 suínos distribuídos em delineamentoexperimental de blocos casualizados em arranjo fatorial, com quatro níveis de restrição alimentar, de 15, 1 O e 5% do consumoà vontade, dois níveis de energia, de 2.083 e 2.252 kcal EUkg de ração e abate aos 95, 105 e 115kg de peso vivo. Foramavaliados o peso da carcaça quente, comprimento de carcaça, espessura média de toucinho, rendimento de carcaça e decortes e relação carne: gordura na carcaça. Animais abatidos aos 95 e 1 05kg de peso vivo, com aumento no nível de restriçãoalimentar, melhoraram a qualidade de carcaça, considerando-se a redução na espessura de toucinho, aumento no peso delombo, peso e rendimento de pernil, enquanto nos animais abatidos aos 115kg esta melhora não ocorreu, uma vez que aespessura de toucinho, o peso do lombo e o peso e rendimento de pernil não se alteraram significativamente. Com aumentono nível de energia líquida da dieta e no peso de abate, ocorreu aumento no rendimento de carcaça, porém, com piora na suaqualidade. As fêmeas tiveram qualidade de carcaça superior à de machos castrados, independentemente do peso de abate.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV