Gastrite em suínos: freqüência, relação com a úlcera gástrica e com a densidade de células endócrinas do estômago

João Carlos Pereira da Silva, José Lúcio dos Santos, Alfredo José Afonso Barbosa

Resumo


Este trabalho teve como objetivos conhecer a freqüência de gastrite em suínos, bem como verificar a eventual relação entreessa patologia e úlcera gástrica e a influência da gastrite sobre a gastrinemia e sobre a densidade de células endócrinas damucosa gástrica. Para tal foram utilizados 64 suínos adultos, divididos em dois grupos: com e sem úlcera gástrica. A dosagemde gastrina foi realizada através de radioimunoensaio, enquanto a identificação das células endócrinas se fez por meio detécnicas histoquímicas (Grimelius e Masson-Fontana modificada) e imunocitoqu(niica (PAP). Os resultados demonstraramque o processo inflamatório gástrico é mais freqüente na mucosa cárdica, seguida da antral e finalmente na mucosa oxíntica.Verificou-se também que a presença de gastrite não alterou a densidade de células endócrinas e a gastrinemia em suínos. Foiainda observada a inexistência de associação entre· gastrite e úlcera gástrica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV