Circunferência escrotal e características do sêmen de touros Nelore aos 18 meses de idade

Silvia Graciela Torres Gilardi, Tânia Góes de Pinho, Luiz Altamiro Garcia Nogueira, Paulo Augusto Pinto, Marcelo Esteves Caldas, Magno Roberto de Souza

Resumo


Circunferência escrota! (CE) e qualidade do sêmen (motilidade e patologia) de 100 touros Nelore aos 18 meses de idadeforam estudados objetivando obter subsídios que auxiliem a seleção de touros jovens Nelore para a reprodução. A média decircunferência escrota! foi de 24,8 ± 2,7cm, sendo que 54% apresentaram CE abaixo de 27cm. Trinta e quatro por cento dostouros apresentaram sêmen oligospérmico ou azoospérmico. A grande maioria (94,8%) dos animais com CE < 23 em foioligo/azoospérmico. Diferença significativa (p< 0,05) foi encontrada entre as médias de CE de touros com sêmen denso eoligospérmico e (p<0,05) entre as médias de CE de oligospérmicos e azoospérmicos. O percentual médio da motilidadeprogressiva e patologia do sêmen de touros Nelore aos 18 meses de idade foi de 51,4 ± 7,2% e 65,6 ± 5,4% respectivamente.Houve diferença significativa entre as médias de motilidade progressiva (p<0,05} e de patologia espermática (p<0,05) dosanimais com CE ~23<27cm e ~27cm. A correlação entre CE e motilidade progressiva do sêmen e entre CE e patologiaespermática foi de r = 0,34 e r = - 0,46 respectivamente. Conclui-se que a maioria dos touros Nelore aos 18 meses de idadesão púberes porém a qualidade seminal ainda é baixa. A CE pode ser considerada eficaz na seleção de touros jovens porapresentar nesta ocasião correlação com parâmetros estudados de qualidade seminal.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Ciência Veterinária - RBCV