'Mornas eram as noites' ou viagem ao redor de Cabo Verde com Dina Salústio

Demétrio Alves Paz

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo analisar o simbolismo presente em Mornas eram as noites, de autoria da cabo-verdiana Dina Salústio, e pro­por uma tipologia temática para os contos, relacionando-a ao tópico da viagem. Nas trinta e cinco narrativas, observamos que há temas comuns em várias delas, tais como: partida e regresso; a condição feminina; rela­ções familiares; pobreza e necessidade; memória; violência (doméstica ou social). Da mesma forma, notamos que há figuras femininas diferenciadas, representando um amplo apanhado de todas as classes sociais e de diferen­tes idades. A grande maioria das histórias é narrada em primeira pessoa, o que aproxima o leitor e também funciona como uma espécie de pedido de cumplicidade por parte das narradoras. Percebemos que a noite surge em muitos enredos como um símbolo de transformação, tendo em vista o subtítulo da obra: “... De como elas se entregam aos dias”. Igualmente, cons­tatamos a dubiedade do subtítulo que pode tanto referir-se às noites (do título) como às personagens femininas representadas nos contos.

---

DOI: http://dx.doi.org/10.21881/abriluff.2016n16a328


Palavras-chave


Conto. Simbolismo. Viagem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/abriluff.v8i16.29890

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 1984-2090 (online)


Indexado em:

Periódicos UFF

Latindex Periódicos CapesDiadorimSumarios.org EZBABECLivreSHERPA-RoMEO MLADialnet


Licença Creative Commons
A Revista Abril utiliza uma licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).