'Lusitânia' de Almeida Faria: um romance epistolar que cruza ficção historiográfica e testemunho autobiográfico

Agnès Levécot

Resumo


Lusitânia de Almeida Faria é um romance epistolar em que se cruzam cartas de diversos membros de uma mesma família da burguesia latifundiária da região do Alentejo. Afastados por razões ligadas à evolução político- -social de Portugal durante o ano de 1974, as personagens evocam o seu estado de espírito, os seus pensamentos mas sobretudo as suas dúvidas e angústias perante o transtorno político e as suas primeiras consequências. Mostramos neste artigo como a estrutura desta narrativa epistolar polifónica acentua o desconcerto pós-25 de Abril duma parte da população portuguesa, desconcerto relatado aliás em grande parte da produção romanesca do último quarto do século XX, mas que revela paralelamente o ceticismo do próprio autor para com a evolução do seu país.


Palavras-chave


ficção historiográfica, identidade, epistolar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/abriluff.v11i22.29979

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 1984-2090 (online)


Indexado em:

Periódicos UFF

Latindex Periódicos CapesDiadorimSumarios.org EZBABECLivreSHERPA-RoMEO MLADialnet


Licença Creative Commons
A Revista Abril utiliza uma licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional (CC BY-NC 4.0).