A gestão do conhecimento e os processos de informações nas organizações: estudo de caso em uma empresa off shore

Carlos Navarro Fontanillas, Eduardo Picanço Cruz, Jaqueline Pimentel de Sousa Gonçalves

Resumo


A crescente competitividade e as transformações cada vez mais rápidas ocorridas a partir do final do século XX têm levado empresas a adotarem novos modelos de gestão e organização para se adequarem ao mundo empresarial moderno e capitalista. Com isso, o conhecimento e o capital intelectual tornam-se cada vez mais importantes e essenciais às companhias, que para obterem diferencial competitivo e se manterem no mercado, precisam estar preparadas para mudanças a fim de gerenciar bem seus ativos, em especial os intangíveis. Em decorrência dessa dinâmica, pode-se observar que uma das dificuldades encontradas atualmente pelas empresas é o freqüente turnover de colaboradores. No Brasil, segundo o IBGE, no ano de 2006, tal apontamento chegou à faixa de 13%, enquanto que no ano de 1999 representava apenas 6% (IBGE 2009). Esse fator atrelado a pouca padronização de processos e em conjunto com o falta de compartilhamento de informações, resultam na perda do conhecimento e conseqüentes custos para a empresa. Não obstante, a gestão do conhecimento torna-se um grande desafio para as organizações atuais, pois criar, gerenciar e compartilhar conhecimento dentro de uma empresa é tarefa que envolve, dentre outros aspectos, suas práticas e crenças sobre gestão de processos, de pessoas e visão sistêmica da organização. E embora tais fatores precisem estar bem alinhados às estratégias organizacionais, muitas vezes não se apresentam dessa maneira.

Texto completo:

PDF-FULL


DOI: https://doi.org/10.22409/sbijounal2012.i18.a10199

Apontamentos

  • Não há apontamentos.