n. 80 (2018)

Os Acordos de Basiléia, a ocorrência das crises e seus impactos econômicos e sociais no Brasil: uma análise DOCUMENTAL entre OS anos 2003 e 2017

RESUMO: Objetiva-se neste artigo analisar os Acordos de Basiléia, que mesmo tendo sido revistos constantemente não estão prevendo e/ou suprimindo as perdas provenientes dos colapsos financeiros. Aborda-se adicionalmente a ocorrência das crises, entendendo-as como processos estruturais das economias capitalistas, por conta de seus ciclos e flutuações provenientes da produção, bem como suas consequências econômicas e sociais. A opção por medidas para estender ou reduzir a amplitude dos ciclos tem relação direta com a vida das pessoas, portanto, a condução econômica dos governantes em seus mandatos necessita de constante acompanhamento popular. O trabalho desenvolveu-se a partir da revisão da literatura associada a uma pesquisa documental onde sob a ótica do crédito, do risco de crédito, e dos tratados de Basiléia, a ocorrência das crises e seus impactos nos indicadores econômicos e sociais. A partir dos resultados obtidos nas aferições dos indicadores econômicos, como o crescimento do PIB e a taxa de desemprego, e sociais, índice de Gini e IDH, evidenciou-se no intervalo, entre 2003 e 2013, crescimento econômico e social do Brasil, e que a elaboração e execução de políticas anticíclicas pelo governo brasileiro após a crise de 2008 asseguraram a continuidade do processo de redução das desigualdades sociais e econômicas.

Palavras-Chaves: Crise. Crédito. Basiléia. Desenvolvimento. Finanças

Sumário

Artigos

Thiago Soares Risso Possas, Julio Vieira Neto
PDF