MUNDIALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Camila Souza

Resumo


Esse trabalho analisa a influência das formulações dos organismos internacionais nas políticas educacionais e suas relações com a atuação empresarial no meio educacional, evidenciando a responsabilidade social como um movimento organizado mundialmente. A perspectiva epistemológica é o materialismo histórico e o referencial teórico-metodológico é baseado nas formulações de Antonio Gramsci, que contribuem na análise de como os organismos internacionais atuam nas relações de hegemonia construindo uma nova sociabilidade capaz de manter a coesão social. As análises confirmam que os organismos internacionais atuam enquanto verdadeiros aparelhos privados de hegemonia da burguesia mundial capazes de induzir políticas públicas fundamentadas na teoria do capital humano e na ideologia da sociedade do conhecimento, concebendo o investimento em educação como incremento para a competitividade global. Ou seja, consolidam uma (con)formação voltada para o capital que reafirma os princípios da responsabilidade social e legitima a mundialização da educação nos moldes de um capitalismo de face humanizada.

Palavras-chave


Educação; organismos internacionais; responsabilidade social.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/tn.11i17.p8454

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fontes de Indexação:

        

 

Apoio:

          Resultado de imagem para abec brasil logo

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Contador de visitas
Contador de visitas

acessos a partir de 21/09/2018.