O PENSAMENTO DE E.P. THOMPSON E A “EXPERIÊNCIA” COMO MEDIAÇÃO NECESSÁRIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS TRABALHADORES EM ITABORAÍ/RJ

Henrique Pacheco

Resumo


A dialética necessária entre educação e experiência, construída por Thompson em sua prática na educação de adultos trabalhadores, parte do pressuposto de que aquilo que as pessoas comuns fazem é digno de interesse e atenção. Sob o ponto de vista da educação de classe, a EJA trabalhadores preconiza que, na produção social de sua existência, os seres humanos criam seus próprios valores, sua cultura própria, intrínsecos ao seu modo de vida. Dessa forma, torna-se necessária a resistência às determinações do mercado e à pedagogia política do capital para que as experiências de classe sejam socializadas e para que o público da EJA seja conhecedor de sua própria cultura, como sujeitos históricos reconhecidos entre si. Em tempos de crise do capital e do trabalho assalariado, percebemos na educação pública a influência cada vez maior das ideias que procuram a valorização do capital humano, fazendo das escolas uma extensão do processo produtivo, da cultura hegemônica, de uma pedagogia política do capital. Desta forma, a EJA trabalhadores configura-se em um mecanismo de mediação da luta de classes, um campo de disputa entre o capital e o trabalho.

Palavras-chave


Educação de jovens e adultos; experiência; mundo do trabalho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/tn.12i19.p8608

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fontes de Indexação:

        

 

Apoio:

          Resultado de imagem para abec brasil logo

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Contador de visitas
Contador de visitas

acessos a partir de 21/09/2018.