MOBILIZAÇÃO E GOVERNANÇA DO CONSELHO GESTOR: O CASO DO MOSAICO CENTRAL FLUMINENSE

Francisco Pontes de Miranda Ferreira

Resumo


A organização da sociedade civil é essencial na busca de transformações sociais. O poder público não deve e não tem a capacidade de promover mudanças estruturais de forma isolada, nem o mercado pode ser absoluto. A maior participação da sociedade produz transformações mais eficazes. A estratégia mais importante para a conservação da Mata Atlântica é a integração das comunidades do entorno das Unidades de Conservação e o incremento do Uso Público, fatores que dependem de um Conselho Gestor participativo e eficiente e um dinâmico sistema de comunicação. O tema do presente artigo é o Mosaico Central Fluminense, cujas ações vêm avançando muito nos últimos anos, principalmente com a instalação do Escritório Técnico que promove um sistema de comunicação e oficinas de Planejamento Estratégico que propõem um modelo de território para os próximos dez anos.


Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, P. Cities and Regions as Self-Organizing Systems: Models of Complexity. Amsterdam: Gordon and Breach Science Publishers, 1997.

BOFF, L. Tempo de Transcendência: o ser humano como um projeto infinito. Petrópolis: Vozes, 2009.

________. Hospitalidade: virtudes para um outro mundo possível. Petrópolis: Vozes, 2005.

CONSELHO DO MOSAICO CENTRAL FLUMINENSE. Planejamento Estratégico do Mosaico Central Fluminense, 2010. Disponível em: < http://www.mosaicocentral.org.br/pesquisas-e-projetos/305-planejamento-estrategico-do-mosaico-central-fluminense >.

HABERMAS, J. The Theory of Communicative Action. Cambridge: Polity Press, 1981.

HARVEY, D. Justice, Nature & the Geography of Difference. Oxford: Blackwell, 1996.

LEFEBVRE, H. The Production of Space. Oxford: Blackwell, 2001.

PRIGOGINE , I. Order out of Chaos. London: Bantam Books, 1984.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.