PLANEJAMENTO PARA O USO PÚBLICO NO PARQUE NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO RELÓGIO, GUARANI, MG

Valéria Fernandes Rezende, Raquel Fernandes Rezende

Resumo


O trabalho faz uma reflexão sobre a importância do planejamento do uso público para a prática de atividades turísticas em unidades de conservação (UCs), com vistas a assegurar que estas proporcionem sensibilização dos visitantes para a conservação da natureza e, até mesmo, para mudanças de hábitos que contribuirão para o menor comprometimento possível dos recursos naturais. Será apresentado um breve relato da experiência de elaboração do Plano de Uso Público contido no Plano de Manejo do Parque Natural Municipal da Serra do Relógio (PNMSR) Município de Guarani, Estado de Minas Gerias. Neste sentido, foi possível concluir que pensar, criar e implementar planos, programas, projetos e ações, como instrumentos de planejamento e gestão para o uso público em UCs, não é tarefa simples. No estudo aqui relatado isso fica evidente, tendo em vista o fato de que a UC estar em fase final de seu processo de criação e ainda não experimentar um processo de visitação formal.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto n0 4.340, de 22 de agosto de 2002. Regulamenta artigos de lei n0 9985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 de ago., 2002.

Brasil. LEI No 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: < www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9985.htm >. Acesso em: 12 set. 2007.

COSTA, P. C. Unidades de Conservação: matéria-prima do ecoturismo. São Paulo: Aleph, 2007.

DIEGUES, A. C. S. O Mito Moderno da Natureza Intocada. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

IRVING, M. A.; AZEVEDO, J. Turismo: o desafio da sustentabilidade. São Paulo: Futura, 2002.

KINKER, S. Ecoturismo e conservação da natureza em parques nacionais. Campinas, SP: Ed. Papirus, 2002. (Coleção turismo).

LAMAS, A.S. Inventário da oferta turística de Guarani, MG.

MINAS GERAIS. Decreto Estadual Nº. 21724 1981 de 23 de novembro de 1981. Regulamenta os Parques Estaduais de Minas Gerais.

MILANO, M. S. Unidades de conservação : Conceitos e Princípios de Planejamento e Gestão. Curitiba: Fupef - Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná, 1989.

MILANO, M. S. Por quê existem as unidades de conservação? In: Unidades de conservação: atualidades e tendências. Miguel Sereduik Milano (Org.). Curitiba: Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, 2000. p. 193-208.

PRIMACK, R. B. e RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Londrina: Editora Planta: 2001.

RODRIGUES, C. G. de O. O uso público nos parques nacionais: a relação entre as esferas pública e privada na apropriação da biodiversidade. Brasília, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Disponível em: < www.ibama.gov.br >. Acesso em: 22 set. 2011.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Disponível em: < www.icmbio.gov.br >. Acesso em: 18 out. 2011.

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS DE MINAS GERAIS. Disponível em: < www.ief.mg.gov.br >. Acesso em: 15 set. 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARANI, MG. Disponível em: < www.guarani.mg.gov.br >. Acesso em: 12 set. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.