USO PÚBLICO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO – ENTRE O IDEAL E O REAL

Edileuza Dias de Queiroz, Luiz Renato Vallejo

Resumo


O estabelecimento de Unidades de Conservação (UCs) representam uma das formas de (re)ordenamento territorial e ambiental, visto que estes territórios  têm como um dos seus princípios “reduzir as perdas da biodiversidade face à degradação ambiental imposta pela sociedade” (Vallejo, 2002). Mas, a sua criação legal não significa e resolução dos problemas relacionados à degradação ambiental. Políticas públicas e investimentos são necessários para que as UCs possam, efetivamente, cumprir os objetivos propostos. Este texto apresenta uma reflexão importante acerca do uso público nesses territórios, contribuindo para discussões acerca da temática.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL.Lei 9.985/2000. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC). Brasília: IBAMA, Diretoria de Ecossistemas, 2000.

BURSZTYN, M., BURSZTYN. M.A. Fundamentos de política e gestão ambiental: os caminhos do desenvolvimento sustentável. – Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

CUNHA, L.H., COELHO, M.C.N. Política e Gestão Ambiental. In: CUNHA, S.B., GUERRA, A.J.T. (Orgs.). A questão ambiental: diferentes abordagens. 3ª ed. – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

DIEGUES, A.C. Desenvolvimento sustentado, gerenciamento geoambiental e o de recursos naturais. In: Cadernos FUNDAP – São Paulo – Ano 9 – nº 16 – p. 33-45, jun/1989.

GOMES, P.C.C. Espaços Públicos: um modo de ser do espaço, um modo de ser no espaço. In: CASTRO, I.E., GOMES, P.C.C.; CORRÊA, R.L. (Orgs.) - Olhares Geográficos: modos de ver e viver o espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

LEFF. E. Epistemologia Ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

MEDEIROS, R., GARAY, I. Singularidades do sistema de áreas protegidas para a conservação e uso da biodiversidade brasileira. In: GARAY, I., BECKER, B.K. As dimensões humanas da biodiversidade: o desafio de novas relações sociedade-natureza no século XXI. Petrópolis: Editora Vozes, 2006

MEDEIROS, R., PEREIRA, G.S. Evolução e implementação dos planos de manejo em parques nacionais no estado do Rio de Janeiro. In: Revista Árvore, Viçosa-MG, v.35, n.2, p.279-288, 2011.

PIMENTEL, D.S. Os “parques de papel” e o papel social dos parques. Tese (Doutorado), Piracicaba, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ/USP, 2008.

_______. Parcerias para a gestão do uso público em parques. In: In: VALLEJO, L.R., PIMENTEL, D.S., MONTEZUMA, R.C.M.(Orgs.). Uso Público em Unidades de Conservação: planejamento, turismo, lazer, educação e impactos. Artigos do 1º e 2º Encontros Fluminenses – 2013 e 2015. Niterói: Ed. Alternativa, 2015.

PIMENTEL, D.S. e MAGRO, T.C. Diferentes dimensões da Educação Ambiental para a inserção social dos Parques. In: Anais - Uso Público em Unidades de Conservação, v.2, n.2, Niterói, RJ, 2014.

PIMENTEL, D.S., MAGRO, T.C., SILVA FILHO, D.F. Imagens da Conservação: em busca do apoio público para a gestão de unidades de conservação. In: Revista Teoria & Sociedade, nº 19.2 – julho-dezembro, 2011.

RODRIGUES, C.G.O. & IRVING, M.A. Os significados de “público” e o compromisso de inclusão social no acesso aos serviços de apoio ao turismo nos parques nacionais. In: IRVING, M.A., RODRIGUES, C.G.O., RABINOVICI, A., COSTA, H. A. (Orgs.). Turismo, áreas protegidas e inclusão social: diálogos entre saberes e fazeres. – 1ª Ed. – Rio de Janeiro: Folio Digital: Letra e Imagem, 2015.

RODRIGUES, C. G. O. O uso do público nos parques nacionais: a relação entre as esferas pública e privada na apropriação da biodiversidade. Tese (Doutorado) - Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, Brasília, 2009. Disponível em:

http://www.nuredam.kinghost.net/files/publicacoes/teses/tese_Camila_Rodrigues.pdf >

Acesso: 02 de abril de 2016

QUINTANILHA, L., VALLEJO, L.R. Uso público em áreas protegidas: um roteiro de atividades para fortalecimento de vivências e conscientização através da educação ambiental. In: Anais Uso Público em Unidades de Conservação. Niterói, v.2. 2014.

QUINTAS, J. S. Introdução à Gestão Ambiental Pública. – Brasília: IBAMA, 2005.

TAKAHASHI, L. Caracterização dos visitantes, suas preferências e percepções e avaliação dos impactos da visitação pública em duas unidades de conservação do Estado do Paraná. Tese (Doutorado) - Curso de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1998

_______. Uso Público em unidades de conservação. Cadernos de Conservação, Curitiba, Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, v. 2, n. 2, out. 2004.

TERBORGH, J., SCHAIK, C. Por que o mundo precisa de parques? In: TERBORGH, J., SCHAIK, C., DAVENPORT, L., RAO, M. (Orgs.). Tornando os Parques Eficientes: estratégias para a conservação da natureza nos trópicos. 1ª Ed. rev. Curitiba: Editora da UFPR/Fundação O Boticário, 2002.

VASCONCELLOS, J. M.O. Educação e Interpretação Ambiental em Unidades de Conservação. Cadernos de Conservação. Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, Ano 3, n. 4, 2006.

VALLEJO, L.R. Políticas públicas e conservação ambiental: territorialidades em conflitos nos parques estaduais da Ilha Grande, da Serra da Tiririca e do Desengano (RJ). Tese (Doutorado). Universidade Federal Fluminense, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.