“CINEMA SELVAGEM”: CLICHÊS SOBRE A AMAZÔNIA E ESTEREÓTIPOS INDÍGENAS

Rafael de Figueiredo Lopes

Resumo


O artigo propõe uma reflexão sobre aspectos que tangem ao reforço de clichês sobre a Amazônia e estereótipos indígenas no cinema. O objetivo é compreender a construção histórica dessa tendência e mapear filmes caracterizados pelo exotismo. A estratégia teórico-metodológica congrega ideias de historiadores que se debruçaram aos estudos amazônicos, além de filósofos, sociólogos, críticos de cinema e antropólogos. Desse modo, nota-se que os filmes, em geral, reproduzem um discurso cristalizado no processo histórico e perpetuam preconceitos, sobretudo, em relação ao índio.

 


Palavras-chave


História; Ciências Humanas; Comunicação; Cinema, Antropologia Social

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/rcc.v2i9.1906

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Os textos do presente número, relativo ao ano de 2018, foram publicados em 12 de Julho de 2020.