https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/issue/feed Ensaios de Geografia 2022-04-29T23:49:26+00:00 Comissão Editorial revistaensaiosdegeografia@gmail.com Open Journal Systems <p>A Revista <em>Ensaios de Geografia</em> é um periódico de publicação quadrimestral, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense. Buscamos divulgar pesquisas de temáticas relacionadas à geografia e áreas afins, assim como ser um espaço de formação acadêmica e profissional.<br /><strong>ISSN:</strong> 2316-8544</p> https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/51920 A CAPTURA DO CAPTURADO CAPTURANTE NAS MARGENS DA ILHA DE DEUS, RECIFE/PE 2022-04-07T02:29:53+00:00 Luiz Carlos da Silva Filho luizcarloss246@gmail.com <p>Ao longo de 2021 em um território marginalizado e estigmatizado pela Sociedade, eu submergia em busca de vivenciar junto aos movimentos dos corpos capturantes que expressavam naturalmente suas habilidades genealógicas. Formava-se ali, naquele breve instante, um elo entre o capturador (geofotógrafo), capturados e capturantes.</p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/52671 AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO 2022-02-16T17:54:02+00:00 Rafael Alves de Freitas uerj.raf@gmail.com <p>Este texto traz algumas considerações acerca das transformações sofridas na Zona Portuária do Rio de Janeiro ao longo da sua história, com destaque para as mudanças ocorridas na última década em virtude dos eventos esportivos sediados na cidade. E como que essas transformações criaram paisagens encenadas para atender aos apelos do turismo em detrimento a desigualdade socioespacial que ainda persiste nessa área da cidade.</p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/49927 PORQUE EU NÃO POSSO SER DOREEN MASSEY? 2021-05-21T19:37:48+00:00 João Carlos Nunes Ibanhez zamoms@hotmail.com <p>É um poema inspirado na teoria de Doreen Massey, um diálogo entre duas pessoas. O sujeito inominado almeja alcançar o nivel teórico de Doreen Massey, então Dagmar vai lhe provocando e obtendo respostas. </p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/52301 MEU CONTEXTO 2021-12-06T21:51:06+00:00 Thiago Borges mpt.thiago@gmail.com <p>Dentro de um contexto de desigualdade a experiência corpórea é o debate central da escrita. O agenciamento de certo lugares e de certos corpos em detrimento de outros é o desabafo que aqui se expressa.</p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/54271 EDITORIAL 2022-04-29T23:49:26+00:00 Ensaios de Geografia revistaensaiosdegeografia@gmail.com 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/51370 A EDUCAÇÃO BRASILEIRA E O PENSAR GEOGRÁFICO 2022-03-04T21:01:22+00:00 Bruna Gabriele Oliveira Araújo bgoa.geo@gmail.com Antônio Kinsley Bezerra Viana antonio.viana1@prof.ce.gov.br <p><span style="font-weight: 400;">A educação brasileira passou por algumas mudanças nas últimas décadas, superando abordagens e práticas pedagógicas meramente conteudistas e descritivas para atuar como um importante instrumento de transformação social e formação cidadã. Em vista disso, o Estado passa a ver a educação como ferramenta imprescindível para a superação dos problemas sociais brasileiros. Nesse contexto, a Geografia atuou de modo a colaborar na instrução dos alunos, auxiliando no desenvolvimento de uma melhor compreensão de mundo e na concepção de novos valores e de um senso crítico, contribuindo ativamente para o desenvolvimento da educação brasileira. Atualmente, sob os novos parâmetros propostos pela BNCC e instituídos através do Novo Ensino Médio, a Geografia é relegada a um outro patamar, sendo vista como apenas um componente das ciências humanas. Este artigo busca refletir sobre os caminhos que seguiram a educação brasileira e a geografia escolar, tratando das adversidades a serem superadas pela Geografia e seus professores.</span></p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/52276 GEOGRAFIA E ANTIRRACISMO NA EDUCAÇÃO 2021-12-22T21:22:40+00:00 Bruna Machado da Rocha brunamr@id.uff.br <p><span style="font-weight: 400;">Este artigo propõe analisar autores que abordam em suas obras como a Geografia estuda e concebe a racialidade. Nesse sentido, faz-se necessário compartilhar e enaltecer autores que já contribuem para caminhos antirracistas na Geografia. Analisando as Competências específicas de Geografia para o Ensino Fundamental da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), sugerem-se também direcionamentos para a instrumentalização de diretrizes que pautem práticas pedagógicas intencionadas ao antirracismo. </span></p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/52257 CARTOGRAFIA PARTICIPATIVA COMO DIÁLOGO ENTRE SABERES 2022-03-14T21:24:38+00:00 Daniel Sombra danielsombra9@gmail.com Gilberto Pereira Rodrigues gprgiba@gmail.com Danilo do Rosário Pinho pinhodanilo@yahoo.com <p>Este artigo se caracteriza como um ensaio, e objetiva ilustrar a especificidade da cartografia participativa no âmbito da cartografia em geral, marcando-a como uma proposição de objeto intermediário para o uso da ciência com fins contra-hegemônicos. Para isso, é realizada uma diferenciação entre cartografia participativa (definida como uma linguagem espacial construída a partir do diálogo entre saberes, ciência e saberes locais) e cartografia social (auto-cartografia dos povos a partir dos saberes locais), definindo a ontologia, a epistemologia, a metodologia e as principais aplicações da cartografia participativa. A fim de demonstrar a possibilidade da proposta, parte-se de uma digressão do uso da ciência e da técnica na educação e na construção de projetos contra-hegemônicos, projetos de empoderamento social. Para materializar a proposta, foi escolhida a aplicação do campo do ensino, a partir de uma oficina de cartografia participativa em três etapas realizadas no município de São João da Ponta (estado do Pará, Brasil).</p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/51948 EXPLORANDO MEMÓRIAS DE LUGAR E LUGARES DE MEMÓRIA ATRAVÉS DE HISTÓRIAS DE VIDA DE IDOSOS RESIDENTES NA SERRA DE PIABAS, SITUADA NO PARQUE ESTADUAL DA PEDRA BRANCA, CIDADE DO RIO DE JANEIRO-RJ 2022-01-12T16:52:12+00:00 Jean Lucas da Silva Brum jeanbrum@id.uff.br <p>Este breve ensaio tem como objetivo discutir os diferentes modos a partir dos quais memória e lugar podem se articular em meio à experiência de mundo através da análise e interpretação de histórias de vida de idosos residentes na Serra de Piabas, situada no Parque Estadual da Pedra Branca, na cidade do Rio de Janeiro – RJ. Este estudo examina como estes sujeitos narram as suas experiências/vivências, através da representação de seu passado pela memória, bem como a articulação destas memórias na construção de sentidos de lugar e o papel do lugar na evocação destas memórias. O fio condutor deste trabalho aponta na direção da construção de um profundo sentimento de pertencimento e apego ao lugar, ancorado na experiência narrativa das memórias como estratégia de permanência destes sujeitos no contexto de mediação e negociação de sua presença em uma Unidade de Conservação de Proteção Integral.</p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor https://periodicos.uff.br/ensaios_posgeo/article/view/52286 MERLEAU-PONTY E O PRIMADO DO CORPO COMO EXPERIÊNCIA NASCENTE DA PAISAGEM 2022-02-08T17:32:06+00:00 Lucas Kaliel Tavares de Souza e Souza lucaskaliel@protonmail.com Romeu Souza bacelar.romeu@outlook.com <p><span style="font-weight: 400;">Neste artigo discutimos o corpo como o fio condutor ontológico para se despertar uma dimensão pré-objetiva da experiência-paisagem, trazendo uma reflexão originária de percepção da paisagem diante das múltiplas formas de abertura em si mesma em diálogo com as obras de Merleau-Ponty. Para o autor, o fundamento a priori de apreender o mundo sobre aquilo que vemos encerra uma dificuldade inerente a partir do momento que interrogamos a respeito do conhecimento desse olhar, o mundo e sobre nós. A paisagem, portanto, compreendida como aspecto visível e perceptível do espaço, é referência do fenômeno de ser-no-mundo, sendo o horizonte exterior que me faz ter a certeza indubitável de mim mesmo enquanto diferença específica. Nossa compreensão, em princípio, é desvelar este mundo circundante que acolhe o homem, como se une este momento vivido da paisagem como modo de ser da presença sublinhado como processo de significação e realização.</span></p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Da Revista (Ensaios de Geografia) e do Autor