QUANDO A UNIVERSIDADE VERTE PARA A CIDADE: EMANCIPANDO E FORMANDO SUJEITOS ATRAVÉS DE AÇÕES NO TERRITÓRIO

Paula Land Curi, Júlia Gonçalves Barreto Baptista

Resumo


Este trabalho pretende discutir a formação em psicologia, a partir da aposta que esta pode se dar de forma múltipla, atravessando a cidade, incidindo no território e na população, através de ações, no âmbito da extensão universitária. Não só a formação em psicologia passou por significativas mudanças nas últimas décadas, mas também a própria universidade. Ambas, consequentemente, enfatizaram seus compromissos com a democracia e a cidadania, dando prevalência a uma forma de produção de conhecimento totalmente articulada com a sociedade na qual se está inserido. Deste modo, faz-se fundamental discutir o papel da extensão universitária, braço formativo que, por princípio, verte para e na cidade, não só como potencia emancipadora de sujeitos, mas também fundamental para a formação de um profissional psicólogo ético-politicamente comprometido com as questões que atravessam a polis. Pretende também evidenciar como se faz necessária à formação do profissional psi o encontro com temáticas transversais, cotidianamente e continuamente presentes na sociedade.

Palavras-chave: Formação, Extensão Universitária, Sociedade, Cidade, Emancipação


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/esa.v9i3.567

Apontamentos

  • Não há apontamentos.