EDUCAÇÃO E CLÍNICA NO CONTEMPORÂNEO: ENTRE GREGOS E MODERNOS, COMO TEMOS VIVIDO?

Cristine Monteiro Mattar

Resumo


O artigo inicia com o diálogo platônico Laques ou da Coragem, para mostrar como se dava a preocupação com a formação dos filhos entre os gregos no período clássico e, na sequência, aponta para a diferença em relação ao modo como se procura formar, hoje, crianças e jovens. Este modo vem produzindo consequências que geram situações clínicas cada vez mais direcionadas ao psicólogo. A nosso ver, as preocupações atuais com o futuro dos filhos, identificadas com os anseios de sucesso, força, vitória e riqueza, situadas no âmbito da configuração familiar contemporânea, bem como a cena clínica em que tais questões vêm sendo desveladas, não podem ser pensadas sem que se leve em conta o horizonte histórico atual, marcado pela técnica, calculabilidade e poder, na medida em que somos dispostos ontologicamente ao corresponder ao ser de todos os entes de modo instrumental. Assim, o cuidado, relação originária com tudo o que vem ao nosso encontro no mundo e que nos constitui, vem se dando ao modo da provocação a tudo utilizar e explorar como recurso disponível, inclusive os próprios filhos.   


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/esa.v9i3.584

Apontamentos

  • Não há apontamentos.